sequencia de livros de o senhor dos aneis

Qual a sequencia de livros de O Senhor dos Aneis?

Uma das sagas literárias mais conhecidas no mundo todo é a de O Senhor Dos Aneis, escrita por J.R.R. Tolkien e imortalizada nos cinemas em películas sob a direção de Peter Jackson e atuações inesquecíveis de Elijah Wood (Frodo), Ian McKellen (Gandalf), Orlando Bloom (Legolas), Sean Bean (Boromir), entre outros. No entanto, quando um fã da série quer dar um passo a mais e cair de cabeça nos livros da Terra-Média pode ficar uma dúvida sobre a correta sequencia de livros de O Senhor dos Aneis. Afinal, são pelo menos 9 publicações essenciais para entender todas as histórias da saga divididas entre vários livros independentes, mas correlatos.  

A Terra-Média é o universo supercomplexo criado por J. R.R Tolkien para desenvolver as suas histórias. Mas, antes de entrarmos a fundo nesse mundo, é interessante também conhecer um pouco do autor dessas obras. 

Talkien nasceu em 1892 na África do Sul e cresceu no Reino Unido onde viveu até 1973. Ele é considerado uma referência para centenas de escritos de livros de fantasia, inclusive inspirando a escritora J. K. Rowling, da saga Harry Potter

Tal qual a saga de filmes Star Wars a ordem cronológica dos livros da Terra-Média não corresponde à ordem dos acontecimentos nos livros (ou do lançamento dos filmes, no caso da Guerras nas Estrelas). Por isso, veja abaixo a sequencia cronológica da história de O Senhor dos Aneis. 

O Silmarillion (1977)

sequencia livros de o senhos dos aneis o Silmarillion

A leitura desse livro é importantíssima para a total compreensão da história da Terra-Média e uma fonte de imersão no universo criado pelo célebre autor.

Com a presença editorial de seu filho, Christopher Tolkien, O Silmarillion é um relato dos Dias Antigos, ou da Primeira Era do mundo, de Tolkien. Ou seja, podemos considerar que ele seria a primeira obra a ser lida da sequencia de livros de O Senhor dos Aneis

Neste livro, os contos se situam numa era em que Morgoth, o primeiro Senhor Sombrio, habitava na Terra-Média, e os Altos Elfos fizeram guerra a ele para recuperar as Silmarils.

É a história da rebelião de Fëanor e de sua gente contra os deuses, de seu exílio de Valinor e retorno à Terra-Média e de sua guerra, que os personagens de O Senhor dos Anéis têm como referência.

Os Filhos de Húrin (2007)

Os Filhos de Húrin

Considerada a grande tragédia escrita por J.R.R. Tolkien, Os Filhos de Húrin apresenta uma narrativa ininterrupta e completa. Ao lado de Beren e Lúthien e A Queda de Gondolin, a história é considerada um dos “Três Grandes Contos dos Dias Antigos” que estão dispostos de maneira condensada em O Silmarillion.

O mais poderoso guerreiro que já existiu na Terra-média fora Húrin, cujo orgulho era tão grande quanto sua força física. Ao ser capturado pelas forças de Morgoth, Húrin resiste às ameaças e torturas que lhe foram impostas no cativeiro e ousa zombar do líder maligno. As consequências de sua postura resoluta recaem, na forma de uma maldição, diretamente em sua família.

Morwen, esposa de Húrin, mesmo grávida e sob grande perigo, envia Túrin, seu filho primogênito, para o Reino élfico de Doriath, cujo rei recebe o menino e o protege das muitas ameaças que se espalham com o avanço do poderio de Morgoth. A criança é criada como um príncipe e se torna um destemido guerreiro, que herda o temperamento arredio e severo da mãe, bem como a destreza de batalha do pai. Túrin se torna um justiceiro nas terras ermas e o grande motivo de pavor por parte dos servos de Morgoth.

Sabendo que o Túrin era o misterioso guerreiro no ermo, o Senhor Sombrio despende sua mais temida criatura para trazer desgraça à família de Húrin: Glaurung, o Pai dos Dragões. O lagarto de fogo tece um plano venenoso e intrincado para destruir Túrin, sua mãe Morwen e sua irmã Nienor. 

Beren e Lúthien (2017)

Beren e Lúthien

Citada em O Senhor dos Anéis, e cuja história é contada de forma resumida em O Silmarillion, essa obra narra o romance e a jornada épica de Beren, um homem mortal, e Lúthien, uma princesa élfica.

O pai dela, um grande senhor élfico, opõe-se à união e, para permitir o casamento com Lúthien, impõe a Beren uma tarefa impossível de ser realizada.

É este o foco central da lenda: a tentativa incrivelmente heroica de Beren e Lúthien juntos, roubar uma Silmaril do maior de todos os seres malignos, Morgoth, o Sombrio Inimigo do Mundo.

Essa história corresponderia à terceira obra na sequencia de livros de O Senhor dos Aneis

A Queda de Gondolin (2018)

A Queda de Gondolin

A Queda de Gondolin narra a trajetória de Tuor, um homem de uma casa outrora nobre, que agora tenta fugir da escravidão para buscar uma mítica e secreta cidade, da qual conhece apenas rumores. 

A cidade é Gondolin, o último grande refúgio élfico que ainda resiste ao domínio de Morgoth, o Sombrio Inimigo do Mundo. 

Deixando para atrás a servidão e sua terra natal, Tuor sente em seu íntimo que, de alguma forma, não está vagando no ermo, mas que é guiado pelos caminhos que se abrem à sua frente. Essa história corresponderia à quarta obra na sequencia de livros de O Senhor dos Aneis

Contos Inacabados (1980)

Contos Inacabados

Contos Inacabados de Númenor e da Terra-média é uma coletânea de narrativas que vão desde os Dias Antigos da Terra-média até o final da Guerra do Anel.

Dentre seus contos há um relato de Gandalf sobre como ele enviou os Anãos para Bolsão, uma descrição detalhada sobre a organização militar dos Cavaleiros de Rohan, além de um relato alternativo da lenda dos filhos de Húrin. 

A obra contém, ainda, a única história que restou sobre as longas eras de Númenor antes de sua queda, e tudo o que se conhece sobre temas como os Cinco Magos, as Palantíri ou a lenda de Amroth.

Assim como todos os livros lançados postumamente, Os Contos Inacabados foram reunidos e editados pelo filho e herdeiro literário do autor, Christopher Tolkien, que fornece um breve comentário sobre cada história, ajudando o leitor a preencher as lacunas e a colocar cada uma no contexto dos demais escritos de seu pai. Essa história corresponderia à quinta obra na sequencia de livros de O Senhor dos Aneis

O Hobbit (1937)

o hobbit

Imediatamente anterior à sequencia de livros de O Senhor dos Aneis, ‘O Hobbit’ conquistou sucesso imediato quando foi publicado em 1937.

O livro vendeu milhões de cópias em todo o mundo e estabeleceu-se como um clássico moderno e um dos livros mais influentes de nossa geração. 

Ele conta a história de Bilbo Bolseiro, um hobbit que leva uma vida confortável e sem ambições. Mas seu contentamento é perturbado quando Gandalf, o mago, e uma companhia de anões batem à sua porta e levam-no para uma expedição.

Eles têm um plano para roubar o tesouro guardado por Smaug, o Magnífico, um grande e perigoso dragão. 

Bilbo reluta muito em participar da aventura, mas acaba surpreendendo até a si mesmo com sua esperteza e sua habilidade como ladrão

O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel (1954) 

O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel

O volume inicial da sequencia de livros de O Senhor dos Aneis, lançado originalmente em julho de 1954, foi o primeiro grande épico de fantasia moderno, conquistando milhões de leitores e se tornando o padrão de referência para todas as outras obras do gênero até hoje. A imaginação prodigiosa de J.R.R. Tolkien e seu conhecimento profundo das antigas mitologias da Europa permitiram que ele criasse um universo tão complexo e convincente quanto o mundo real.

A Sociedade do Anel começa no Condado, a região rural do oeste da Terra-média onde vivem os diminutos e pacatos hobbits. Bilbo Bolseiro, um dos raros aventureiros desse povo, cujas peripécias foram contadas em O Hobbit, resolve ir embora do Condado e deixa sua considerável herança nas mãos de seu jovem parente Frodo.

O mais importante legado de Bilbo é o anel mágico que costumava usar para se tornar invisível. No entanto, o mago Gandalf, companheiro de aventuras do velho hobbit, revela a Frodo que o objeto é o Um Anel, a raiz do poder demoníaco de Sauron, o Senhor Sombrio, que deseja escravizar todos os povos da Terra-média. A única maneira de eliminar a ameaça de Sauron é destruir o Um Anel nas entranhas da própria montanha de fogo onde foi forjado.

A revelação faz com que Frodo e seus companheiros hobbits Sam, Merry e Pippin deixem a segurança do Condado e iniciem uma perigosa jornada rumo ao leste. Ao lado de representantes dos outros Povos Livres que resistem ao Senhor Sombrio, eles formam a Sociedade do Anel. 

O Senhor dos Aneis: As duas torres (1954) 

O Senhor dos Aneis: As duas torres

O segundo volume da sequencia de livros de O Senhor dos Aneis, mais importante épico de fantasia moderno, narra os caminhos separados seguidos pelos membros da Sociedade do Anel em sua luta para deter Sauron, o Senhor Sombrio da terra de Mordor, e destruir o Um Anel, no qual está contida a maior parte do poder do tirano demoníaco imaginado por J.R.R. Tolkien.

Um ataque-surpresa pôs fim à jornada conjunta da Sociedade do Anel. De um lado, o trio formado pelo elfo Legolas, pelo anão Gimli e por Aragorn, herdeiro da realeza dos Homens, tenta resgatar os jovens hobbits Merry e Pippin, capturados por guerreiros-órquicos. A busca pelos companheiros perdidos levará os três a confrontar os cavaleiros do reino de Rohan e o mago renegado Saruman, que também deseja o Um Anel para si.

Enquanto isso, do outro lado das montanhas, Frodo e Sam buscam uma maneira de entrar em Mordor e chegar até a montanha onde o Anel foi forjado, único lugar onde é possível destruí-lo. Para isso, acabam recebendo a ajuda de seu mais improvável aliado: Gollum, a criatura que chegou a ter o Anel sob seu poder durante centenas de anos e que ainda é devorada, em corpo e alma, pelo desejo de voltar a possuí-lo.

Com cenas que mesclam o heroico e o intimista, o sublime e o cômico, As Duas Torres abriga algumas das criações mais inesquecíveis da imaginação de J.R.R. Tolkien, como os gigantescos Ents e a cultura nobre e belicosa do povo de Rohan.

O Senhor dos Anéis: O retorno do rei (1955)

O Senhor dos Anéis: O retorno do rei

A guerra entre os Povos Livres da Terra-média e Sauron, o Senhor Sombrio da terra de Mordor, chega a seu clímax neste terceiro volume do romance O Senhor dos Anéis. As batalhas grandiosas que estão prestes a acontecer, no entanto, são apenas o pano de fundo para o verdadeiro drama: a missão quase suicida dos hobbits Frodo e Sam, que tentam destruir o Um Anel, fonte do poder de Sauron, infiltrando-se no coração do território do Inimigo.

Em O Retorno do Rei, acompanhamos o mago Gandalf e o hobbit Pippin em sua visita à a majestosa cidade de Minas Tirith, que já foi o principal baluarte dos Homens contra a ameaça de Sauron, mas que está prestes a sucumbir diante da força avassaladora do Senhor Sombrio. Outros membros da Sociedade do Anel se juntam a Aragorn, herdeiro da longa linhagem dos reis de Minas Tirith, na tentativa de evitar que a antiga capital do reino de Gondor seja destruída.

Nas fronteiras de Mordor, Sam resgata Frodo, e os dois hobbits partem para o último estágio de sua jornada rumo ao Monte da Perdição, uma jornada que testará os limites do corpo e da mente dos pequenos heróis. O livro inclui ainda numerosos apêndices, nos quais Tolkien explora detalhes da história, das línguas, dos alfabetos e até dos calendários de seu mundo ficcional.

Crédito imagem de capa: Image by Pau Llopart Cervello from Pixabay

Confira outros textos do blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *