Torto Arado Resenha

Torto Arado: Resenha do Livro de Itamar Vieira Jr Que Já Nasceu Clássico

Suco de Brasil! Se fosse para resumir o livro Torto Arado, de Itamar Vieira Jr., em uma frase essa seria essa. O livro é um retrato do que há de mais atrasado e ainda assim verdadeiro que obtemos quando esprememos o que é a vida de uma parte esquecida da população brasileira. Como dizia Millor Fernandes, “o Brasil é um país com um passado enorme pela frente”. 

Por isso, todas as vezes que pensamos que o Brasil é o país do futuro podemos nos enganar por algum tempo, mas quando fechamos os olhos e abrimos novamente, somos obrigados a enxergar novamente fatos que escolhemos esquecer. Esse é o ponto principal de Torto Arado, uma obra que nos traz à tona problemas do passado que ainda persistem em nossa sociedade e que teremos que encarar se quisermos de fato ter o futuro que nosso país merece. 

Talvez por isso o livro tenha conquistado o Brasil, se tornando o mais vendido da Amazon no ano passado e tenha ganhado prêmios importantes como Oceanos, Jabuti e Leya. 

>>> Está gostando dessa resenha de Torto Arado? Acompanhe-nos nas nossas outras redes, como Canal no Youtube, Telegram e Instagram para ficar sempre por dentro das novidades do blog!

O Que Fala o Livro Torto Arado?

Essa é uma história sobre duas irmãs Bibiana e Belonísia que se tornam extremamente próximas após um acidente que mutila a língua de uma delas. Isso vai para sempre determinar o destino delas, pois uma passa a ser a voz da outra.

O acidente é muito importante durante toda a história. Ele acontece porque vive junto com as meninas a avó delas chamada Donana que está sempre com sua mala pronta para deixar a fazenda Água Negra e voltar à sua terra de origem. A curiosidade que elas possuem por saber o que tem na mala é um dos pontos centrais do livro. Nessa mala elas irão encontrar uma faca envolta em uma pano ensanguentado a ao brincar com o objeto acabam se mutilando. 

Elas crescem num contexto de trabalhadores descendentes de escravos em uma fazenda no Sertão da Bahia que continuam vivendo em um regime próximo à servidão entre as décadas de 70-80 no Brasil (mais abaixo vamos demonstrar a fundo como é possível determinar a época em que se passa a história narrada no livro). 

Em um resumo do livro Torto Arado, o que se vê ali é um regime quase que de servidão, no qual os donos da terra permitem que esses trabalhadores ali residam, mas só enquanto trabalharem e fornecerem parte das suas colheitas e sem erguer casas de tijolos, pois eles poderiam representar que estavam ali para ficar.

Com o passar dos anos, a percepção que cada uma tem daquele regime muda e isso acaba por afastar as irmãs. Uma delas vai embora da fazenda com o intuito de libertação e para lutar por condições melhores. Ela faz isso junto com o primo Severo, uma espécie de líder popular que começa a desafiar o regime em que vivem e a ter em seus ideais a busca pelos direitos que são negados àquele povo. 

A outra irmã, no entanto, também percebe aquele sistema injusto, porém fica para lutar ali mesmo por aquilo que considera o seu lar. 

Junte-se a isso a figura de seu pai, Zeca Chapéu Grande, uma espécie de líder místico entre os trabalhadores da fazenda, e da sua mãe, a parteira local. Assim, temos uma trama inesquecível, com protagonistas mulheres muito fortes. A mensagem por trás da história é um tapa na cara sobre problemas que ainda hoje persistem em nosso país.

E mais, prepare-se para chorar, pois Torto Arado é um romance comovente que conta uma história de vida e morte, combate e redenção, de personagens que atravessaram o tempo sem nunca conseguirem sair do anonimato.

Onde acontece Torto Arado?

torto arado

Para continuar nossa resenha de Torto Arado, precisamos estabelecer o local em que acontecem os eventos do livro. 

O autor dá todas as pistas necessárias para compreendermos que os eventos acontecem em algum lugar da Chapada da Diamantina, no sertão baiano. Os principais fatos que corroboram essa conclusão é a citação frequente das festas de Jarê (uma religião de matriz africana praticadas com exclusividade na Chapada) e a menção de que os primeiros moradores chegaram ali atrás de diamantes. 

Em Que Época Acontece Torto Arado?

Essa é uma das perguntas mais feitas por leitores interessados nas resenhas de Torto Arado. 

Para um leitor atento, há diversas pistas durante o livro que ajudam a entender. 

A primeira é quando Belonísia está narrando o livro e fala abertamente que o que não conseguia se conectar com o que era contado pela professora de história, sobre governos civis e militares, dando a entender que o regime militar já havia se iniciado. 

Outra pista bem mais reveladora é quando acontece o acidente envolvendo as meninas e a faca, elas são levadas ao hospital em uma Ford Rural. Esse é um veículo icônico. Primeiramente o carro Rural era produzido pela empresa Willys no Brasil, e essa empresa foi adquirida pela Ford em 1972, quando passa a se chamar Ford Rural. O veículo foi produzido no país até 1977. Dessa forma podemos posicionar que os acontecimentos iniciais do livro são da década de 70 ou posteriores. 

Como a história passa por diversos anos, sendo que ao fim do livro as meninas já estão adultas, podemos dizer que a história de passa mais ou menos entre a década de 70 e o fim dos anos 90 e início dos anos 2000. Talvez um pouco ainda mais presente. 

Isso vai de encontro às entrevistas do autor, nas quais ele comenta que conheceu pessoas vivendo em situações análogas ao do livro em seus estudos. Itamar Vieira Jr. é um pesquisador e doutor em estudos étnicos e africanos pela Universidade Federal da Bahia com estudo sobre a formação de comunidades quilombolas no interior do Nordeste.

Quem são os narradores de Torto Arado?

Para entender a nossa Resenha de Torto Arado é necessário conhecer quem conta a história. O livro possui 3 narradoras – Bibiana, Belonísia e Santa Rita Pescadeira. 

Quem Narra O Primeiro Capítulo de Torto Arado?

O primeiro capítulo do livro Torto Arado se chama Fio de Corte, com foco principal no acidente com a faca, e irá narrar a história das famílias sobre o ponto de vista de Bibiana. 

Quem Narra o Segundo Capítulo de Torto Arado?

O segundo capítulo do livro se chama Torto Arado, homônimo ao livro, e conta a história pelo ponto de vista de Belonísia, com foco em sua relação com Tobias. Nessa parte também são demonstrados alguns abusos físicos e psicológicos que as mulheres sofrem ali naquela localidade. 

Quem Narra o Último Capítulo de Torto Arado?

O terceiro e último capítulo de Torto Arado se chama Rio de Sangue e é narrado por uma entidade encantada chamada Santa Rita Pescadeira. Nessa parte teremos alguns insights da vida de Donana, Zeca Chapéu Grande, Severo, além de sermos apresentados à conclusão do conflito de terra que vai se desenhando desde o início do livro e entenderemos finalmente o motivo da faca estar guardada envolta por um pano cheio de sangue na mala de Donana. 

Quem perdeu a língua Bibiana ou Belonisia?

Essa resposta nos é dada já na conclusão da primeira parte do livro (SPOILER). Quem perdeu a língua é Belonísia, fato essencial para entender o motivo do nome da obra. 

Por que o título Torto Arado? Qual o significado de Torto Arado?

Só será possível compreender o título Torto Arado e seu significado na metade do capítulo 2 da obra – narrado por Belonísia. 

Como ela foi mutilada pela faca, ela perdeu parte da capacidade de fala e as pessoas passam a não compreender mais o que sai de sua boca. 

Inconformada, ela decide que irá treinar uma palavra para começar a recuperar a fala, e uma das que ela mais gosta é a palavra “Arado”, mostrando a sua relação forte com a terra. 

Mas, mesmo após treinar várias vezes a palavra Arado, a protagonista não consegue pronunciar corretamente, e a palavra sai “torta”, ininteligível, de sua boca. Assim, Torto Arado. 

Importante: Não é à toa que a protagonista que não consegue falar em Torto Arado seja a mesma que passa por abusos psicológicos e vê outras mulheres sofrendo abusos físicos na fazenda. Isso é uma metáfora clara das mulheres que não são ouvidas, que são ignoradas e que não podem lutar contra esses abusos. 

O que ler depois de Torto Arado?

Aqui no blog temos uma lista de livros para ler durante esse ano, sobre diversos temas da atualidade. 

Caso sua intenção seja ler outras obras com temática parecida e que mantenha o mesmo nível de boa escrita da obra, outros livros que podem ser interessantes para agregar são: O Avesso da Pele (Jeferson Tenório) e Vidas Secas (Graciliano Ramos).

Conclusão

Queremos concluir nossa resenha de Torto Arado dizendo que na nossa visão esse livro já nasceu um clássico. É uma obra atemporal, sobre racismo, permanência, resistência, e a relação com a terra. Veremos personagens femininas fortes e resilientes em um Brasil que, com certeza, iremos novamente reencontrar no futuro – quem sabe para vencer esse capítulo da história. 

Gostou de conhecer nossa resenha de Torto Arado? Veja outros posts recentes do blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.