as crônicas de Nárnia livros

As Crônicas de Nárnia – Conheça a ordem dos livros, curiosidades e mais

Conheça As Crônicas de Nárnia, veja curiosidades a respeito de uma das obras de fantasia mais clássicas da literatura criada por C. S. Lewis.

As Crônicas de Nárnia é uma série de 7 romances de muita fantasia. Nárnia trata-se de um mundo fantástico onde se observa muita magia, seres mitológicos e animais que falam.

Essa série foi escrita por C. S. Lewis e é um clássico da literatura, sendo considerada uma das obras literárias mais bem sucedidas de todos os tempos.

Atenção: neste artigo serão ditas algumas coisas a respeito dos livros, portanto, é inevitável que haja um pouco de spoiler.

A História de Nárnia

Nárnia é um mundo mágico e fantástico, o qual para acessá-lo é necessário que algo completamente sobrenatural aconteça. Aparentemente, só quem chega a ir à Nárnia são aqueles que são escolhidos. Escolhidos por quem? Não sabemos ao certo.

Em cada livro, os personagens principais, que são humanos, passam pelo processo de viagem entre o mundo que conhecemos e Nárnia. Essas viagens são intrigantemente incompreensíveis, todavia, podemos notar uma semelhança nos casos de ida à Nárnia: objetos sempre são utilizados para proporcionar o acesso ao mundo fantástico, como no caso do primeiro livro, a porta de Nárnia estava no fundo de um guarda-roupa.

Aproveitando a deixa, comentarei sobre o primeiro livro lançado (O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa) onde o leitor do conto é apresentado a Nárnia pela primeira vez.

Lúcia, a mais novas de seus irmãos, estava brincando de esconde-esconde quando encontrou o guarda-roupa mágico, e através dele foi a primeira a conhecer Nárnia; seus irmãos também chegaram depois.

Ao entrarem em Nárnia, eles se deparam com animais falantes, elfos e diversos seres mitológicos. Além disso, descobrem que esse mundo mágico vive um caos, pois a Feiticeira reina sobre todos ali; então se dão conta de que vivenciam uma guerra entre o bem e o mal.

Eles, os jovens humanos, são os escolhidos para ajudar Aslam (O Leão, verdadeiro rei de Nárnia) e os bons a derrotar a Feiticeira, conforme prediz a profecia.

Veja a sequência dos livros de As Crônicas de Nárnia

A ordem de publicação da série de livros As Crônicas de Nárnia não segue necessariamente o cronograma temporal dos acontecimentos. Portanto, vou apresentar os dois sequenciamentos para que você faça a escolha da ordem de leitura:

Sequência dos livros de As Crônicas de Nárnia por ordem cronológica

  1. As Crônicas de Nárnia – O Sobrinho do Mago
  2. As Crônicas de Nárnia – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa
  3. As Crônicas de Nárnia – O cavalo e seu menino
  4. As Crônicas de Nárnia – Príncipe Caspian
  5. As Crônicas de Nárnia – A Viagem do Peregrino da Alvorada
  6. As Crônicas de Nárnia – A Cadeira de Prata
  7. As Crônicas de Nárnia – A Última Batalha

Sequência dos livros de As Crônicas de Nárnia por ordem de publicação

  1. As Crônicas de Nárnia – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (1950)
  2. As Crônicas de Nárnia – Príncipe Caspian (1951)
  3. As Crônicas de Nárnia – A Viagem do Peregrino da Alvorada (1952)
  4. As Crônicas de Nárnia – A Cadeira de Prata (1953)
  5. As Crônicas de Nárnia – O cavalo e seu menino (1954)
  6. As Crônicas de Nárnia – O Sobrinho do Mago (1955)
  7. As Crônicas de Nárnia – A Última Batalha (1956)

Sobre o autor de As Crônicas de Nárnia

C.S. Lewis, autor de As Crônicas de Nárnia, nasceu em 1898 em Beltfast (Irlanda).

Tendo perdido sua mão muito cedo, na cabeça de Lewis começaram a surgir muitas perguntas. Então, por grande parte da sua vida, ele era um ateu declarado.

Lewis participou da 1ª Guerra Mundial, o que ainda reforçava sua crença, pois a maldade que ele observava no mundo o fazia não aceitar que existisse um deus.

No entanto, ao passar do tempo, C. S. Lewis começou a perceber que a maioria dos autores brilhantes e inteligentes que ele admirava eram cristãos. Isso o fez refletir sobre este assunto de uma forma diferente.

Em uma conversa com um amigo chamado Tolkien, Lewis aceitou o cristianismo e, após a leitura de The Everlasting Man de G.K. Chesterton, Lewis finalmente se tornou um cristão.

Como a crença de Lewis influenciou As Crônicas de Nárnia?

Esse fato de Lewis ter se tornado um cristão influenciaria totalmente o seu rumo na literatura.

Em Nárnia, sua obra mais relevante, podemos notar muitas semelhanças com as histórias da Bíblia Sagrada. O autor usou e abusou de sua criatividade para fazer referências às escrituras.

Muitas as “coincidências, veja alguns exemplos:

Aslam – A primeira referência que quero ressaltar é a semelhança entre Aslam (O Leão, rei de Nárnia) e Jesus Cristo. Além de os valores e personalidade serem condizentes, Aslam se entregou para ser crucificado pela Feiticeira, porém reaparece mais a frente e guerreia contra a feiticeira.

No 3º livro seguindo a ordem cronológica (O Príncipe Caspiam) os habitantes de Nárnia perderam a fé. Então, os protagonistas do primeiro livro lançado (O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa) têm de voltar àquele mundo mágico para provar para as pessoas que Aslam existe.

Em A Cadeira de Prata, Aslam dá missões a Gil e Eustáquio, porém, pela sua falta de fé, eles descumprem o que lhes foi confiado. Por conta disso, muitas coisas começam a dar errado, contudo, ao desenrolar da história, eles percebem que isso são consequências da desobediência; por isso, eles se concertam, e tudo passa a se encaixar.

No último livro (A Última Batalha) podemos apontar grande semelhança com as profecias bíblicas descritas em Apocalipse. 2 animais enganam os narnianos afirmando ser Aslam e, assim, dominam a população. Nesse caso, podemos notar a semelhança com o Anti-Cristo anunciado no último livro Bíblia.

Certamente, ainda há muitas semelhanças a se observar, todavia, é melhor que você descubra lendo essas crônicas, que, por sinal, recomendo muito.

Como o Guarda-Roupa de Nárnia foi criado?

O Guarda-Roupa mágico surgiu pelos próprios anéis mágicos que foram os primeiros objetos que proporcionaram viagens à Nárnia.

A mãe do pequeno Digory estava muito doente. Em uma conversa com parentes, ele ouviu falar sobre um fruto que poderia trazer a cura para sua mãe.

Então, em um determinado momento em Nárnia, Aslam entrega o fruto a Digory para que ele pudesse dar a sua mãe, que melhora depois de consumi-lo.

Aslam havia dado uma ordem às crianças para que elas enterrassem os anéis mágicos; estes foram enterrados juntamente com os restos do fruto da árvore mágica.

Brotou, por isso, uma árvore com propriedades mágicas; balançava mesmo sem haver vento e ficava estática mesmo em meio a uma forte tempestade. Um dia, um raio atingiu e derrubou a árvore mágica, e, então, da madeira dela foi feito o icônico Guarda-Roupa mágico.

Você deve gostar também:

Conclusão

Para quem gosta do gênero fantasia, a leitura de As Crônicas de Nárnia é mais do que recomendável. Pois é uma das histórias fantásticas mais clássicas da literatura. E, independente de quando foi lançado, um bom clássico como esse nunca perde o seu sabor.

Por isso, fica a minha recomendação. Espero que tenha gostado desse artigo e que você esteja empolgado(a) para iniciar essa nova leitura.

Comente aqui se você acha que faltou algo no artigo. Seu feedback é importante para nós aprimorarmos os nossos conteúdos e agregar ainda mais valor a você.

Imagem de MorningbirdPhoto por Pixabay

Confira outros posts recentes do blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *