filhos do eden ordem

Filhos do Éden: Veja a Ordem Dessa Trilogia Angelical

Hoje você conhecerá a ordem dos livros de Filhos do Éden e poderá ter uma boa noção sobre como é a obra por meio das nossas sinopses/resenhas. Trata-se de uma série best-seller de livros nacionais, tendo vendido mais de 700 mil exemplares no Brasil. A trilogia foi escrita pelo jornalista brasileiro Eduardo Spohr, mesmo autor de A Batalha do Apocalipse, que é outra criação famosa do autor.

Filhos do Éden é uma ficção fantástica maravilhosa e intrigante que envolve anjos, batalhas celestiais, fim dos tempos… Na verdade, embora os personagens em evidência sejam outros, a história dessa série está no mesmo universo de A Batalha do Apocalipse. Uma ficção robusta, com muito material para apreciar! 

Porém, não cometa o erro de fazer comparações, pois Filhos do Éden tem uma proposta diferente, tendo uma aproximação muito maior com a humanidade e sua natureza; isso pode causar uma certa estranheza para o público que já acompanhava o trabalho de Spohr.

Por outro lado, isso traz uma identificação muito maior com o público, principalmente por termos personagens principais que, mesmo sendo seres celestiais, são tão humanizados.

O primeiro volume da obra — Herdeiros de Atlântida — foi lançado em 2011 pela Editora Verus, do Grupo Editorial Record.

Não é a primeira vez que menciono isso, mas gosto de sempre reforçar minha satisfação por saber que há escritores brasileiros desenvolvendo trabalhos tão magníficos, principalmente quando falamos desse tipo de fantasia, pois não é tão comum brasileiros escreverem livros do gênero.

>>> Está gostando de ler este artigo sobre a ordem dos livros de Filhos do Éden? Bom, nós estamos sempre trazendo muitas obras maravilhosas da literatura mundial em nossos outros meios de comunicação:  Canal do Youtube; Instagram; Canal do Telegram

Vamos ao conteúdo dos livros… (Há spoilers)

1 – Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida

Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida

Herdeiros de Atlântida é o primeiro volume na ordem dos livros de Filhos do Éden. Neste volume, somos apresentados a essa narrativa sensacional, que tem uma grande guerra celestial como plano de fundo: um confronto entre o Arcanjo Miguel e as tropas revolucionárias de Gabriel.

Neste contexto, conhecemos Kaira, um anjo, capitã dos exércitos de Gabriel. Ela foi mandada para a Terra para cumprir uma missão, mas não voltou. Por conta disso, Gabriel mandou dois anjos para buscá-la: Levih e Urakin. No entanto, para a surpresa deles, a Centelha Divina (como Kaira também é chamada) está certa de que é uma humana e se chama Rachel.

Porém, a “garota” não se manterá convicta sobre sua identidade por mais muito tempo, pois, em um momento de forte emoção, ela poderá contemplar o grande poder que há dentro de si e verá uma chama reluzente emanar do seu corpo sem o queimar. 

Além disso, Rachel está prestes a conhecer algumas criaturas sobrenaturais bem hostis, como os raptores, que são demônios caçadores de anjos. O mundo oculto está agitado e as coisas estão ficando muito perigosas para Kaira. Assim, mesmo com a proteção de Levih e Urakin, a protagonista leva um tiro no peito — atingir o coração é a melhor forma para se matar um anjo. (Todo mundo sabe disso; não questione)

Bom, é assim, através desse acontecimento trágico, que Denyel entra na história. Denyel é nada menos que um Querubim. Ele foi exilado, mas ainda é um Querubim.

Sem muitas opções, Levih leva Kaira para Denyel com o pedido aflito de ajuda. Mas ele tem uma condição: ele quer a anistia para poder lutar ao lado de Gabriel.

Enquanto nos envolvemos na emocionante jornada dos personagens, a macro-trama se desenvolve em uma problemática cósmica gigantesca. Uma conspiração milenar pode se tornar um grande choque para toda a existência, e a vida na Terra nunca esteve tão ameaçada.

Uma narrativa cheia de aventuras, onde acompanhamos o grupo dos 4 celestiais enfrentando um bocado de seres sombrios pelos mais variados e exóticos lugares do planeta, em um rumo que os levará para as ruínas do maior reino pré-diluviano: Atlântida.

2 – Filhos do Éden: Anjos da Morte

Filhos do Éden: Anjos da Morte

Este é o segundo livro na ordem da trilogia Filhos do Éden. Em Anjos da Morte, estamos diante de mais uma trama de tirar o fôlego, envolvendo a humanidade e o mundo espiritual.

Neste segundo livro, a maior parte do protagonismo passa para o Querubin Denyel. O anjo que cativou os leitores no primeiro livro. Mesmo assim, Kaira ainda tem muito destaque na narrativa: após os acontecimentos em Herdeiros de Atlântida, a Centelha Divina desobedece Gabriel e sai a procura do anjo exilado, contando com a ajuda de Urakin e Ismael.

Enquanto isso, acompanhamos a trama de Denyel, que é um personagem que se encaixa muito naquele estereótipo de herói problemático. Ele faz parte do esquadrão dos Anjos da Morte, que é um grupo formado por 7 malakins que estão a serviço de Miguel. A missão deles é obter informações sobre as guerras dos humanos para observar a evolução tecnológica que eles estão alcançando. Assim, se tratando do século XX, imaginamos que seja uma narrativa bem agitada.

Eduardo Spohr faz um trabalho deslumbrante ao mesclar a sua apaixonante fantasia com acontecimentos fatídicos que marcaram o século passado, e, em meio a toda tensão do momento da Guerra Fria, “assistimos” o protagonista entrar em ação.

É dessa forma que o autor se aprofunda na história de Denyel, e acompanhamos ele transgredindo os princípios de sua casta e entendemos os motivos para ele ter chegado no fundo do poço onde estava, quando o conhecemos no primeiro volume da série.

Os exilados, disfarçados de meros seres humanos, participaram dos momentos mais sombrios da história humana, desde os campos de concentração nazistas até o auge da guerra ideológica entre o capitalismo americano e o socialismo soviético.

A narrativa é construída de maneira muito inteligente através de cortes temporais divididos entre a revelação da trajetória de Denyel (passado) e a busca de Kaira por Egnias, que é uma outra cidade de Atlântida, onde poderá encontrar um outro afluente do Rio Oceanus. E, neste processo, questões do livro anterior são respondidas, ao passo que surgem muitas novas perguntas.

3 – Filhos do Éden: Paraíso Perdido

Filhos do Éden: Paraíso Perdido

Com este livro, Spohr encerra sua trilogia Filhos do Éden, que fez um grande sucesso em vendas no país verde e amarelo. Um sucesso facilmente explicado pelos personagens apaixonantes, cenários magníficos, enredos inteligentes e uma construção de narrativa excepcional.

Os dois livros anteriores narravam jornadas que nos guiavam até esta última trama, que é apresentada no épico livro Paraíso Perdido.

Após Deus ter criado o universo e os seres vivos que nele existem, partiu em seu eterno descanso. Assim, os arcanjos se assentaram sobre o domínio do céu e os sentinelas ficaram sobre o controle da Terra.

Porém, Miguel, convencido por Lúcifer, se rebelou contra os seres humanos. Os sentinelas se opuseram e, então, foram perseguidos e seu líder foi levado à prisão celestial.

Metatron! Um nome temido entre os celestiais, pois era o Rei dos Homens na Terra, designado pelo próprio Deus como líder dos Sentinelas, que eram responsáveis por proteger e instruir a humanidade.

Ele é dos mais antigos entre os anjos e, após escapar do seu cárcere no Segundo Céu, é certo que os tempos ficarão bem turbulentos daqui para frente.

Seu objetivo é retomar o domínio do mundo e desafiar tanto as legiões do arcanjo Miguel quanto as tropas de Gabriel. Ele quer retomar o santuário perdido e ser o único a deter todo o poder no mundo.

Assim, cantam os rumores de um grande conflito. O Apocalipse é anunciado! E a Batalha do Armagedom é uma disputa entre os seres mais poderosos do universo!

Conclusão

A fantasia de Spohr, em Paraíso Perdido, atinge seu ápice: imagine o anjo Denyel em um universo nórdico, convivendo com as amazonas em Asgard e se deparando com figuras icônicas da mitologia, como Loki. Que brisa! Eu não perderia esse rolê por nada!

Bom, muitas outras surpresas te esperam no conteúdo contido entre as capas dos livros desta obra magnânima. 

Enfim… Esta é a ordem dos livros da trilogia Filhos do Éden. Espero que este artigo tenha tirado suas dúvidas. Se isso aconteceu, compartilhe o texto com seus amigos para ajudar nosso projeto a crescer cada vez mais.

E se você acha que faltou alguma informação relevante, comente aqui nos comentários abaixo para nos ajudar a aprimorar nosso conteúdo.

Gostou de conhecer a ordem dos livros de Filhos do Éden? Veja outros posts recentes do blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.