leitura de verão resenha

Resenha de Leitura de Verão: Os Opostos se Atraem?

[cn-social-icon]

O que aconteceria se dois escritores resolvessem entrar em um desafio em que precisassem escrever o gênero um do outro durante as férias de verão? Será que isso daria certo? É isso que descobrimos aqui na nossa resenha de Leitura de Verão, um dos atuais queridinhos das redes sociais na atualidade, com autoria de Emily Henry. O livro se caracteriza como um “enemies to lovers” ou seja, de inimigos para amantes, porém eu gosto de dizer que os protagonistas estão mais para rivais, do que para inimigos.

Em Leitura de Verão, January Andrews é uma escritora de livros de romances clichês que está passando por uma fase bastante difícil depois da morte repentina do seu pai, e dos segredos que vieram à tona depois desse acontecimento. Sem ter para onde ir, ela decide passar o verão na casa do lago, que está envolvida em um dos muitos segredos de seu pai, e tentar colocar a vida nos eixos durante esse tempo. 

O que January não imaginava era que Augustus Everett, seu ex-colega de faculdade e aclamado escritor best-seller de ficção a quem ela não suporta, estaria morando na casa ao lado. Porém à medida que os dias passam, ela e Augustus acabam se aproximando e percebendo que estão paralisados por um bloqueio criativo de escrita que os impedem de terminar seus livros, é aí que surge a ideia do desafio: Augustus precisará escrever um romance com final feliz, enquanto January precisará escrever uma ficção mais clássica e nem um pouco clichê. 

Nessa aposta arriscada, tanto Gus quanto January precisarão sair de suas zonas de conforto, e conhecer muito mais sobre a vida um do outro, o que pode fazer com que eles se envolvam em um desafio muito maior que a escrita.

>>> Esta Resenha de Vermelho, Branco e Sangue Azul é uma parceria entre o blog Os Melhores Livros e o Ig Literário @recapitulos (perfil em que você também encontra conteúdos incríveis). Para receber esse e outros textos em primeira mão, você também pode acompanhar o blog no nosso canal no YouTube, canal do Telegram ou no nosso Instagram! Caso você goste desse conteúdo, poderá adquirir o livro através desse link para ajudar no crescimento do blog.

A Autora: Emily Henry

Emily Henry é uma romancista norte-americana best-seller do The New York Times, mais conhecida pelos livros Beach Read (Leitura de Verão) e People We Meet on Vacation, que chegará ao Brasil pela Verus Editora em 2023. 

Ela estudou escrita criativa no Hope College e no New York Center for Art & Media Studies, e atualmente passa a maior parte do tempo em Cincinnati, Ohio, e no Kentucky. Seus livros já apareceram no Buzzfeed, Oprah Magazine, Shondaland e The New York Times, sendo um grande sucesso na categoria romance juvenil.

Conhecendo os Personagens : Protagonistas escritores

Já falamos aqui na nossa resenha de Leitura de Verão sobre January Andrews, que cresceu acreditando que o casamento dos seus pais era perfeito e viveu com a idealização de que mesmo com a pior das dificuldades, o amor sempre curava tudo no final. Foi com essa percepção que se tornou uma escritora de romances clichês com final feliz, porém a morte repentina do seu pai e a revelação de segredos dolorosos e fez a sua vida virar de cabeça para baixo. Perdida na pior fase do luto, junto com a raiva pelas mentiras e o fim do relacionamento que ela achava que era a repetição da perfeição do casamento dos seus pais, January se vê perdida em um bloqueio criativo e a certeza de que não acredita mais no amor. 

Por isso fugir para uma temporada no lago, onde estará com tempo suficiente para treinar sua escrita longe de todos parece a sua única saída, porém o destino fará com que ela precise enfrentar seus temores para que possa enfim seguir em frente com sua vida.

Augustus Everett é um autor renomado. Seu último livro é um best-seller do The New York Times e ele é conhecido por escrever livros sem nenhum aspecto de felicidade, mas atualmente ele está empacado na escrita do seu livro atual, completamente sufocado pela rotina e falido, morando em sua casa do lago, enquanto segue incansavelmente pela pesquisa para a sua escrita. É quando January Andrews, sua antiga colega de faculdade, aquela que ele teve uma única dança em uma festa de fraternidade se muda para casa ao lado, prometendo não apenas mudar a sua rotina, mas bagunça-la completamente. 

Neste livro vamos nos aprofundar não apenas nos quesitos de escrita dos protagonistas, mas também em suas vidas pessoais, seus segredos, medos e traumas, temos a narrativa de como eles lidam com isso, mas principalmente a forma como eles ainda estão totalmente machucados pelas coisas mal resolvidas: a January em seu luto e o Gus em seus diversos outros problemas. Temos também as resoluções sobre o passado dos dois na faculdade, em como eram rivais de escrita já naquela época e na atração que existe secretamente desde aquela época.

leitura de verão

Opostos Que se Atraem 

“A pior parte de ser rival de Gus Everett na faculdade? Provavelmente o fato de não ter certeza se ele sabia que nós éramos rivais.”

January e Gus são totalmente opostos. Enquanto ela sempre enxergou a vida como uma comédia romântica onde o amor cura tudo e só existem finais felizes, Gus enxerga tudo com um grau muito alto de pessimismo, que em sua percepção é na verdade, apenas realismo.

As provocações entre eles começaram desde a faculdade, onde as oficinas de escrita já deixavam claro qual caminho ambos iriam seguir nessa profissão, e o fato das histórias do Gus sempre terem uma camada de profundidade muito alta, recebendo muitos elogios e destaque, fez com que January estabelecesse uma competição de rivalidade unilateral com ele.

Anos depois com o reencontro e o acordo estabelecido, January e Gus passam a viver na rotina um do outro de forma recorrente, enquanto January leva Gus a encontros clichês para alinhar sua familiaridade com comédias românticas, Gus leva January para as suas pesquisas macabras do seu livro de ficção. Com suas vidas se alinhando, não demora muito para surgir uma atração que eles não conseguem mais esconder e irão descobrir, mesmo com um pouquinho de dificuldade que mesmo com tantas diferenças, seus mundos podem muito bem coexistir de um jeito inesperado. 

A Narrativa de Luto na História da January

Chegamos ao ponto na nossa resenha de Leitura de Verão em um momento que entramos na história da January e na carga emocional que a sua narrativa traz. 

Com a perda brusca e repentina do pai, ela precisa lidar com o luto de uma maneira ainda mais difícil após descobrir a vida dupla que seu pai levava sem seu conhecimento. A sua vida entra em colapso ao perceber que tudo aquilo que moldou a sua vida adulta – o amor do casamento dos seus pais – era uma mentira e além de precisar lidar com a dor de perder alguém que tanto ama, ela precisa também lidar com a raiva que as mentiras lhe causam.

Temos a descrição de uma January devastada, sem esperança e propósito, precisando lidar com a dor e o peso da verdade que destruiu todas as suas fantasias de que o amor era a resposta para tudo. A autora traz de forma bem sensível essa confusão e montanha-russa de sentimentos que ela tem que lidar, principalmente em sua atitudes, é mostrado também como ela tem que se reencontrar dentro de si mesma e como isso afeta todos os aspectos da sua vida, desde sua escrita até a forma como ela enxerga o mundo em perspectiva da visão de quem a January era antes de tudo isso acontecer. 

Essa é uma narrativa que vai além do núcleo do romance, mas que molda toda a forma em que o romance é construído. Além da January não acreditar mais no amor, ela luta de todas as formas para não se apaixonar, principalmente pelo Gus por conta do passado que os dois tem, além de estar totalmente fragilizada com tudo que aconteceu. É muito interessante ver como os estágios do luto dela se desenvolvem, refletindo na maneira em que ela age consigo mesma e com os outros enquanto ela tenta encaixar os quebra cabeças de tudo que o pai dela nunca disse, e em como isso se desenrola na construção do romance em si.

“Finais felizes não acontecem para todo mundo. Não há nada que possa fazer para obrigar alguém a amar você”

Conclusão: Vale o Hype?

Finalizamos a nossa resenha de Leitura de Verão no perguntando se todo o hype é justificável e a resposta é sim! O livro promete ser um ótimo romance clichê e cumpre com o seu propósito, mantém uma narrativa que vai da comédia romântica para o drama o tempo inteiro, tornando a narrativa um pouco mais séria, quando se trata de questões como o luto e a insegurança da vida adulta dos protagonistas. A receita do sucesso é também a característica extra do “enemies to lovers” que prende o leitor na expectativa de saber o momento certo em que o casal vai deixar de se odiar, ou nesse caso se provocar, para enfim se entregar a atração evidente entre eles. 

Os personagens são cativantes, e a história traz uma dose de realismo e um pouco de dificuldade que faz com que o leitor torça para dar tudo certo, não apenas para o casal, mas em suas vidas individuais. Além de tudo isso, o livro traz personagens escritores, o que enriquece totalmente a história, pois há uma certa magia em ler um livro em que há escritores tentando fazer uma história nascer. Se você é um apaixonado por romances, vale muito a pena ler “Leitura de Verão”.

Gosto da nossa resenha de Leitura de Verão? Veja também outros posts recentes do blog!

6 comentários em “Resenha de Leitura de Verão: Os Opostos se Atraem?”

    1. Olá, Eveline, ficamos muito felizes com a mensagem.
      Caso decida comprar, utilize os links presentes no texto para ajudar na manutenção do blog!
      Até mais!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *