Ordem dos Livros da Série Feios

Feios: Ordem Dos Livros dessa inusitada série

Distopias normalmente impressionam porque geralmente trazem enredos inusitados e, muitas vezes, bizarros. Todavia, Scott Westerfeld consegue se destacar em termos de criatividade e de imaginação com a série de livros “Feios”, que vem fazendo muito sucesso nas livrarias de vários países do mundo e, por isso, neste artigo falarei um pouco sobre os 4 volumes em ordem.

A trama se passa em um mundo pós-apocalíptico completamente diferente e com uma proposta inovadora por parte do autor. Após um desastre ecológico, o planeta ficou quase completamente devastado, contudo, a vida humana continua existindo, e agora há uma sociedade futurística com uma cultura totalmente fora do padrão.

A sociedade distópica convive em meio a paz, harmonia, felicidade, diversão… Mas, principalmente a perfeição — “Em um mundo de extrema perfeição, o normal é feio”. Isso é levado tão a sério que pessoas nascidas “feias” são excluídas, sendo mandadas para um lugar específico até que façam 16 anos de idade.

Quando os jovens chegam a essa idade, eles ganham um grande “presente” do governo: uma cirurgia plástica, que os torna perfeitos perante a distópica civilização que vive em cidades-bolhas. Isso é tão maluco! Mas eu gostei!

“Feios” traz uma ficção científica fora dos padrões e tem fundamentações muito inteligentes. É claro que é muito fácil enganar alguém como eu; se você conseguisse ser pelo menos um pouco convincente ao me contar que viu um ovni, eu acreditaria, mas Scott realmente consegue fazer parecer algo possível num futuro distante. Até certo ponto, claro.

Série “Feios” na Netflix 

A saga do americano Scott fez muito, muito sucesso. Portanto, todos os quatro volumes entraram na lista de bestsellers do New York Times. Além disso, a Netflix, uma das maiores plataformas de streaming do mundo, vai lançar uma adaptação baseada no primeiro volume do romance.

O filme será estrelado por uma atriz já famosa chamada Joey King, que já havia tido destaque na trama de A Barraca do Beijo.

1 – Feios

Feios ordem

Como eu já havia comentado, houve muitas catástrofes que destruíram o planeta por conta de todos os abusos da humanidade para com a natureza. E, para evitar que a nova civilização seguisse o mesmo caminho, essa sociedade se organizou de forma totalitária, chegando ao nível do absurdo, sempre tentando evitar os sentimentos de inveja, ambição, descontentamento…

Assim, para garantir um sistema igualitário, coisas moralmente questionáveis são aplicadas por parte das autoridades.

Um detalhe interessante na série de livros “Feios” é que o conceito de “feio” é algo completamente diferente do que acreditamos, pois, nessa distopia, mesmo as pessoas com aparências normais são consideradas “feias”. O único nível adequado é o “perfeito”.

Tally Youngblood, protagonista, é uma menina adolescente, e o grande dia fica cada vez mais próximo. Tally se sente ansiosa, e não vê a hora de passar por aquele processo cirúrgico que lhe faria ser uma pessoa “bonita”, e lhe faria ser aceita no distópico mundo das alegrias e bonanças dessa sociedade futurística.

Após isso, ela reencontraria seus amigos e sua família. Contudo, a protagonista conhece a Shay, uma menina que também não está longe de fazer 16 anos. Mas essa garota parece não estar nem um pouco a fim de passar pela transição.

A Shay, que agora está junto da Tally, é uma ponte para um mundo completamente desconhecido, pois através dela, a personagem principal conhece lugares que ela jamais veria e se dá conta de muitas possibilidades.

Mesmo assim, Tally não cogita continuar sendo como é. Ela não deixará de seguir os passos certinhos pré-determinados pela lei. Assim, as duas se separam e a Shay segue seu caminho.

No entanto, no seu aniversário de 16 anos, dia da grande transformação, Tally terá de tomar a decisão mais difícil de sua vida!

2 – Perfeitos

Perfeitos

Em Perfeitos, segundo volume na ordem da série de livros “Feios”, uma coisa fica absolutamente clara: o processo cirúrgico que cada pessoa ”feia” precisa passar aos 16 não é apenas estético. Talvez por isso, as pessoas dentro daquelas bolhas sejam tão alienadas.

Agora, Tally é uma pessoa muito diferente; não só por fora, mas também por dentro. A protagonista se tornou alguém fútil, e às vezes até ignorante, tornando a leitura um pouco massiva no início do livro. Mesmo assim, alguma coisa dentro dela ainda dizia que havia algo de errado em meio a toda aquela perfeição, harmonia e beleza.

A trama dá um grande salto quando um novo personagem surge. O Zane, diferentemente dos outros bonitinhos alienados, também continha, dentro de si, dúvidas sobre a sociedade em que vive. Dessa forma, em uma narrativa cheia de reviravoltas, e agora mais interessante, os dois se unem na tentativa de ressuscitar o “eu” que havia sido ocultado num ato moralmente desumano.

Assim, em frente a mistérios obscuros, a protagonista embarcará em uma aventura de perigos e desafios, onde conhecerá novas pessoas e descobrirá novos possíveis romances, ao passo que a narrativa fica cada vez melhor.

O volume dois, apesar de manter as características que tornaram a obra um bestseller, traz ainda mais emoção, e com um desenvolvimento mais ágil.

Além disso, o caráter crítico do autor, na segunda trama parece estar ainda mais acentuado. Talvez porque, em Perfeitos, temos uma visão melhor de dentro das cidades-bolha futurísticas. E em sua escrita altamente criativa, Scott nos leva a refletir sobre a grande cobrança estética industrializada, que mesmo não atingindo tamanho exagero, é, sim, um problema da nossa realidade.

3 – Especiais

especiais

Especiais é o terceiro livro da saga Feios de Scott Westerfeld, a série mais famosa do autor.

Eles são diferentes de tudo que já vimos. Muitas pessoas, inclusive dentro da civilização dos perfeitos, nunca chegarão a ver um deles. Eles são os especiais: bonitos ao extremo, fortes, rápidos e com seus sentidos aprimorados. Eles mais parecem os X-Men, contudo, não pense que Scott deu uma de Marvel, pois sua proposta é completamente diferente.

Assim, o que não passava de um boato sinistro para a Tally, agora é sua nova realidade. Isso mesmo, a protagonista está totalmente transformada. Ela é uma especial. Mais do que isso, ela faz parte dos cortadores, um grupo especial dentro do grupo dos especiais. Ficou confuso? Imagine a Tally.

Os cortadores são um grupo de elite muito, muito poderoso, que, no entanto, possuem fraquezas emocionais; e quando algo atinge essas fraquezas, despertando crises sentimentais, eles se cortam. Dessa forma, a dor física se sobrepõe aos sentimentos, tornando-os “conscientes” novamente.

Com esse detalhe, o autor parece querer chamar a atenção sobre um problema real, que é o fato de que muitas pessoas, principalmente jovens, se cortam para tentar esquecer suas dores emocionais.

Em Especiais, Scott traz uma trama emocionante e com mais ação do que as anteriores. Em um cenário de guerra contra grupos rebeldes que não se incluíam na sociedade socialista totalitária, observamos o sistema entrando em colapso. Assim, num estilo um pouco mais The Avengers, temos um desfecho digno da saga.

4 – Extras

Extras

A intenção de Scott Westerfeld era de finalizar a série de livros “Feios” numa trilogia. No entanto, devido ao grande sucesso da sua obra, o autor achou que seria uma boa ideia lançar mais um volume no mercado.

Em Extras, Scott, mais uma vez, impressiona com sua criatividade. Em meio às suas tramas de fantasia, seu senso crítico faz emanar ideias brilhantes para tornar os olhos dos leitores em direção a temas sociais importantes.

Agora, o alvo não é mais a beleza, mas, sim, a fama. Em um período bem depois do desfecho em Especiais, Tally, protagonista nas narrativas anteriores, agora é uma lenda.

Os jovens nessa nova organização social, têm uma liberdade que chega ser assustadora, e eles estão sempre buscando formas de subir no ranking da fama, pois esse parece ser o objetivo de quase todos nessa sociedade. Dentro desse contexto, encontramos a Aya, uma adolescente que está em busca de uma matéria que vá colocá-la no topo do ranking.

A nova personagem principal parece ter encontrado a matéria da sua vida: há um grupo de jovens viciados em adrenalina que estão constantemente fissurados por praticar as maiores loucuras radicais que puderem. Porém, diferentemente das pessoas daquela sociedade, eles não querem holofotes. Senti uma vibe “Caçadores de Emoções” nostálgica.

A distopia do autor ultrapassa barreiras, e como exemplo da sua capacidade de imaginação, acho legal destacar uma característica bem peculiar da era dos extras: as pessoas não têm dinheiro, você pode ser rico e ter tudo que quiser, se você fizer coisas importantes para a sociedade. É como se fosse um score para medir sua reputação.

Dessa forma, o leitor terá um bom objeto para pôr a prova através de suas competências filosóficas, analisando se algo assim poderia, porventura, dar certo ou não.

Um pouco sobre Scott Westerfeld

Scott é um escritor americano renomado. Mesmo que algumas literaturas dele sejam para opúblico adulto, a maioria das suas obras são direcionadas ao público Young Adult. Aliás, embora o autor possua grande variedade de criações literárias, seu trabalho ficou mundialmente conhecido por conta, justamente, da série Feios.

Nascido em Dallas, no Texas, se formou em Filosofia. Talvez, por isso, suas obras sempre tragam um caráter crítico, como no caso da série que é tema deste artigo.

Westerfeld é realmente um profissional de muitas competências, tendo sido professor, designer de softwares, editor de livros e escritor “Ghostwriter” (escrevia obras que outras pessoas assinavam).

Enfim… Isso foi o de hoje. Diz aí o que achou. Ficou interessado na série de livros “Feios”?

Gostou de conheer a ordem dos livros da Série Feios? Veja outros posts recentes do blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.