as crônicas de arthur ordem

As Crônicas de Artur: Ordem Dos Livros e Muita Aventura

Uma nova visão sobre uma das lendas mais populares da história, é assim que a narrativa na ordem dos livros de As Crônicas de Artur acontece. Como já é tradição nos títulos de Cornwell, uma linha temporal incrível, com cenários e passagens eletrizantes. A lenda do Rei Artur mais viva do que nunca.

Por isso, criamos um post especial para te mostrar a ordem de leitura e um pouco sobre cada título da saga. Então, se você quiser saber mais, é só continuar acompanhando esta leitura até o final. E se quiser ficar por dentro de todas as novidades, não deixe de entrar em nosso grupo do Telegram.

>>> Se você está gostando de conhecer a ordem dos livros de As Crônicas de Artur cadastre-se no nosso canal no Telegram ou Instagram para receber todos os textos em primeira mão.

Veja um pouco mais sobre Bernard Cornwell 

Bernard Cornwell é um dos autores considerados verdadeiros mestres na arte de criar enredos. Ele também escreveu a saga Crônicas Saxônicas, e outros mais de 40 livros, traduzidos para diversas línguas ao redor do mundo. Ainda, participou das adaptações de algumas de suas obras para as telonas.

Dessa maneira, apaixonado pela história da Inglaterra, o autor mescla nuances de realidade e fantasia em seus títulos. Assim, a ordem dos livros de As Crônicas de Artur é a segunda saga criada por ele, e a favorita, segundo Bernard. Além disso, ele ainda tem títulos sobre as guerras Napoleônicas e a Guerra Civil Americana.

Então, qual o enredo da ordem dos livros de As Crônicas de Artur?

Considerada a obra favorita do autor entre todos os títulos, a ordem dos livros de As crônicas de Artur traz uma recriação da história. Assim, toda a trama conta a história da ascensão de um dos reis mais famosos da literatura. Porém, sob a ótica de um de seus cavaleiros mais fiéis, Derfel Cadarn.

Dessa maneira, é bom experimentar os acontecimentos da tomada de poder sob uma perspectiva diferente. Então, é possível ler desde o nascimento de Mordred, irmão de Artur, até as invasões anglo-saxônicas. E tudo isso com uma mistura incrível de realidade e ficção que o autor proporciona.

Por isso, você vai encontrar uma narrativa em primeira pessoa, com um fio temporal linear, de acordo com os acontecimentos. Então, as tramas se emaranham com os conflitos durante a invasão Irlandesa e dos Saxões. Além disso, os conflitos menores dentro do reino têm papel importante na construção da saga.

Assim, os títulos apresentam descrições bem gráficas e passagens com plots incríveis. O ritmo oscila bastante, e a narrativa é carregada de um imprint político e a medida certa de fantasia misturada à realidade. Para os fãs de escritas carregadas de acontecimentos históricos, a saga é um prato cheio.

Qual a ordem de leitura dos livros Crônicas de Artur?

Ao todo, foram publicados três títulos na ordem dos livros de As Crônicas de Artur. Assim, eles seguem uma linha temporal, e precisam de uma sequência de leitura para fazer sentido. Todos eles são narrados em primeira pessoa, e vários personagens se cruzam durante o enredo.

Então, já que você conheceu a ordem dos livros de As Crônicas de Artur, chegou a hora de descobrir um pouco mais sobre eles. Portanto, fizemos um resumo de cada título, com uma pitadinha de resenha. Assim, você já pode saber o que esperar de cada um, e já incluir em sua lista de leitura.

O Rei do Inverno

O Rei do Inverno

A primeira parte da trilogia é O Rei do Inverno, começo da ordem dos livros de As Crônicas de Artur. Assim, a narrativa é feita pelo personagem principal, em primeira pessoa. Dessa maneira, Derfel começa a contar a partir dos conflitos religiosos envolvendo o paganismo e cristianismo na Inglaterra em 500 D.C.

Assim, o protagonista foi criado pelo mago Merlin, após sobreviver a uma tentativa de execução. Então, o druida escolhe Derfel e outras crianças consideradas especiais para criar. Aqui, ele também conta um pouco sobre a personalidade de Artur, já rei da Bretanha e inserido em diversos embates por conta da religião.

O ponto central do livro trata sobre esses embates em uma Bretanha bem dividida. Assim, Derfel assiste Artur tentar unir o país para lutar contra os inimigos, tornando a nação unida. Porém, ele toma algumas decisões difíceis de engolir, o que deixa o povo ainda mais revoltado.

Quanto ao primeiro na ordem dos livros de As Crônicas de Artur, ele oscila bastante em ritmo. O começo é um tanto morno, com destaque para as passagens de um Derfel criança, moldado pelo ambiente. Em seguida, o ritmo diminui bastante para mostrar as descrições e tramas políticas da época.

Contudo, o meio se torna bem mais acelerado e cheio de passagens intensas. Um dos melhores pontos é o estilo de narrativa do autor, que oferece descrições muito boas e diálogos bem construídos neste título. Então, para saber o final, é só adquirir o seu agora mesmo e começar a acompanhar esta saga incrível.

O Inimigo de Deus

O Inimigo de Deus

Na segunda parte da ordem dos livros de As Crônicas de Artur, os acontecimentos finais do primeiro livro dão seguimento. Assim, agora a Bretanha está dividida entre cristãos e pagãos, e uma invasão saxã está quase para acontecer. Merlin e Derfel sabem que isso será a causa da derrota do país.

Por isso, eles precisam encontrar um objeto sagrado, um caldeirão com propriedades mágicas. Somente esse item pode unir novamente a Bretanha e fazer com que ganhem a guerra e expulsem os invasores. Por isso, Merlin e Derfel saem em uma busca por ele, recheada de perigos em cada esquina.

Particularmente, esse é o livro preferido na saga, desta que vos escreve. A atmosfera de ficção realmente toma conta, e existem alguns momentos em que vários mitos milenares são incluídos. Por exemplo, a lenda do Graal inserida na busca pelo caldeirão, nada me tira da cabeça.

Além disso, Derfel é um personagem totalmente mais cativante na segunda parte da ordem dos livros de As Crônicas de Artur. Por fim, ainda tem uma mistura de realidade e ficção que torna tudo mais atraente. E não podemos esquecer um pouco de romance, que é a cereja do bolo.

Excalibur

Excalibur

Excalibur é a parte final na ordem dos livros de As Crônicas, que foi feita com maestria por Bernard Cornwell. É importante exaltar a maneira com que o autor trata uma lenda tão gigante quanto a do Rei Artur. O livro é inteiro interessante, o que é raro na maioria dos títulos, sempre tem um pedacinho mais morno.

Porém, no caso desse título, cada página parece mais incrível que a anterior, sem ficar monótono. Agora, Derfel precisa continuar ao lado de Artur, que está recém divorciado e com o coração partido sentindo falta da rainha. Além disso, a Bretanha continua ameaçada de invasão, e agora sem os poderes de Merlin.

Aqui, o símbolo maior é a espada sagrada que deu o trono a Artur. Ela é uma alegoria sobre quando a magia falha, as guerras precisam ser travadas pela espada. E no final das contas, esse era o símbolo máximo da força do rei, e da nação como um todo.

Outro ponto super interessante é a crítica bem explícita de Cornwell ao cristianismo. Ainda, a violência dos conflitos é quase palpável, com as excelentes descrições que o livro oferece. Com certeza o final é digno de uma lenda na parte final da Ordem dos livros de As Crônicas de Artur.

Como no enredo original, a luta entre o bem e mal está presente, e um clímax intenso, de tirar o fôlego. Porém, se você quiser ver como essa história termina, vai precisar incluir a saga em sua fila de leituras. Aproveite e já compre o seu agora mesmo.

Afinal, vale a pena aproveitar a ordem dos livros na série Crônicas de Artur?

Logo de cara a gente já te diz que vale muito a pena aproveitar a ordem dos livros de As Crônicas de Artur. Assim, além de ser uma história atemporal, que já encantou muitas gerações, a narrativa traz um plus de criatividade com a nova perspectiva. Então, você pode esperar uma excelente saga para incluir em sua lista.

Além disso, a construção literária incrível do autor é digna de nota. Como mencionamos, ele tem descrições de cenários e passagens muito bem feitas. Assim, você consegue participar dos livros completando os “buracos” com a imaginação, como todo livro deveria ser.

Em alguns momentos, é possível pensar que o livro se torna morno demais, mas os plots e as passagens de ação compensam bastante. O enredo é muito bem construído, e a nostalgia das Brumas de Avalon bate o tempo inteiro. Com certeza é uma adição incrível e vale muito a pena a ordem dos livros de As Crônicas de Artur.

Ainda, se você curtiu este post e quer conhecer outros títulos incríveis, continue conosco por aqui. Dessa maneira, temos mais livros de ficção para você aproveitar. Então, não perca tempo e fique por dentro dos lançamentos no mundo literário acompanhando nossos conteúdos por aqui.

Gostou de conhecer a ordem dos livros de As Crônicas de Arthur? Veja outros posts recentes do blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.