a vida invisível de addie larue

A Vida Invisível de Addie LaRue: Resenha Literária

A Vida Invisível de Addie LaRue é uma obra que não passa despercebida pelos leitores mais atentos. Isso porque esse livro atingiu um hype imenso desde o seu lançamento em 2020, conquistou as redes sociais, os perfis literários e acabou sendo considerada uma obra prima por muitos críticos. A obra foi responsável por colocar V. E. Schwab na lista das maiores autoras de livros de fantasia da atualidade, conquistando o 1° lugar dos mais vendidos de fantasia do The New York Times e sendo recomendada pelo Entertainment Weekly. 

Em “A Vida Invisível de Addie LaRue” somos apresentados a Adeline LaRue, ou Addie LaRue, como prefere ser chamada. Ela vive na França do período de 1714 em uma vila pacata do interior e seu destino é o mesmo que o de todas as mulheres que conhece, uma vida breve e sem propósito. Porém Addie não queria pertencer a ninguém e a nenhum lugar, seu sonho é ser livre e ter tempo para viver a sua liberdade. Em um momento de desespero Addie se submete a um pacto com a escuridão:  a juventude eterna, sob a condição de ser esquecida por quem a conhece. Em um piscar de olhos, Addie se vai, e sua existência se dissipa na memória de todos.

Assim, em essência, a obra é baseada no mito faustiano sobre busca e perda, eternidade e finitude.

>>> Esta resenha de A Vida Invisível de Addie LaRue é uma collab entre o blog Os Melhores Livros e o Ig Literário @recapitulos (onde você também encontra resenhas incríveis). Para receber esse e outros textos em primeira mão, você também pode acompanhar o blog no nosso canal do Telegram ou no nosso Instagram

A Autora: Quem é V. E. Schwab

V. E. Schwab é uma autora de livros de ficção e fantasia norte-americana, ficou mais conhecida pela sua série de livros “Tons da Magia” e “A Vida Invisível de Addie LaRue”, porém seu acervo de livros publicados totalizam mais de 15 obras. 

Por escrever para dois públicos, adulto e infantil, a autora escolheu modificar sua forma de assinar seus livros, para os livros infantis ela assina seu nome completo, Victoria Schwab, e para o público adulto na qual seus livros se baseiam em ficção científica/fantasia, ela escolheu o pseudônimo, V. E. Schwab. Mas por que essa mudança? A autora explica que o mercado norte-americano é muito sexista, e muitos leitores homens não leem ficção científica e fantasia escrita por mulheres, por isso ela optou pelo pseudônimo gênero neutro.

A autora também é assumidamente LGBT e por esse motivo sempre faz questão de trazer representatividade em seus livros, com temas como assexualidade e relacionamentos homoafetivos. Aqui no Brasil seus livros lançados são Um Tom Mais Escuro de Magia, Um Encontro de Sombras, Melodia Feroz, O Dueto Sombrio, A Guardiã de Histórias, A Bruxa de Near, A Vida Invisível de Addie LaRue e Vilão.

a vida invisível de addie larue

O mito faustiano presente em A Vida Invisível de Addie LaRue

O pacto que serve de base para a história de A Vida Invisível de Addie LaRue é baseado em um antigo mito alemão em que o doutor Fausto faz um pacto de juventude eterna com um demônio. 

No mito, Fausto quer um conhecimento que lhe permita ir além de sua condição de homem sujeito às leis da natureza. Ele estava disposto a perder-se para conhecer os segredos do universo. Desse modo, aceita entregar sua alma a Mefistófeles, sendo representado pelo demônio. Porém havia um preço a pagar por esse acordo. Após uma série de acontecimentos trágicos provocados pelo próprio Fausto e pela influência de Mefistofeles em sua mente, ele morre de forma dramática, partindo com o demônio e pagando seu preço pelo pacto. Fausto simboliza a soberba da busca do poder pelo conhecimento e seu mito foi representado, catalogado e adaptado durante cinco séculos na literatura, sendo usado de viés filosófico por muitos estudiosos.

A autora V. E. Schwab usa o “mito faustiano” como base para construir a história presente em A Vida Invisível de Addie LaRue, utilizando também a filosofia que o mito traz de busca da juventude eterna e liberdade para compor os anseios da personagem, porém de uma forma menos trágica e mais reflexiva, o que torna o livro ainda mais impressionante pela sensibilidade que é retratada. 

Resenha de A Vida Invisível de Addie LaRue

Depois de saber um pouco sobre a autora e a inspiração por trás da história dessa obra de ficção, voltamos ao resumo de A Vida Invisível de Addie LaRue. Começamos o livro com um prólogo que mostra uma Adeline LaRue fugindo de algo em 1714, para depois entrarmos no presente representado pelo ano de 2014. É assim que a história se desenrola, mostrando Adeline desde a sua infância normal em Villon Sur Sarthe, começando em 1698 e transitando para o presente com uma Addie LaRue contemporânea já vivendo a sua maldição com quase 300 anos. 

Essa forma de narração de início compõe perfeitamente a história de duas Addie’s, a de antes da maldição e a depois e fica ainda mais complexo depois de algum tempo em que mostra a trajetória de Addie LaRue pelos anos após a sua maldição e o que acontece até ela chegar no momento atual. Somos levados pelo sonho de ser livre, pelo desespero de fazer o pacto, pelo conhecimento e a tristeza que compõe sua maldição e principalmente pelo embate que é travado entre ela e a escuridão que ela nomeia de Luc.  

Composto de sete partes importantíssimas para a montagem do quebra cabeça que é essa história, a autora nos leva em uma viagem sobre a perda e a liberdade, sobre a vida eterna e seus percalços, sobre uma garota e a sua maldição, mas principalmente sobre o valor de ser lembrado e as marcas que deixamos. 

>>> Se você gostou de conhecer a obra, pode adquiri-la pelos links do blog. Assim, você irá ajudar na manutenção desse projeto literário.

Addie LaRue e o desejo de deixar uma marca no mundo 

Um dos termos da maldição da Addie LaRue é não ser lembrada por ninguém, ela desaparece da mente das pessoas a partir do momento que dão as costas para ela. Outro termo que restringe Addie durante sua trajetória é que ela não pode deixar uma marca no mundo, não pode falar seu próprio nome, nem contar a sua história, dessa forma ela vive praticamente como um fantasma. Por esses motivos, uma das coisas que mais me encantaram nesse livro foi a determinação de Addie LaRue de deixar a sua marca, mesmo que fosse pelas mãos de outra pessoa. 

Sempre se agarrando à arte e a literatura, no decorrer dos anos ela vai sempre arrumar um jeito de encontrar uma brecha em sua maldição. Essa parte me tocou especificamente por que um dos questionamentos do livro é exatamente esse, “o que somos além das marcas que deixamos no mundo?”. A vida é muito curta e ainda assim pessoas são lembradas por séculos através das marcas que deixam, é o que faz eles serem lembrados. Essa é uma das diversas reflexões que o livro traz em sua narrativa poética. 

As passagens do tempo de Addie LaRue

Como foi dito acima, A Vida Invisível de Addie LaRue é narrado através de passagens de tempo, entre o passado e presente. Conhecemos Adeline LaRue, uma criança que não se encaixa nos padrões que a sociedade espera de uma mulher de 1698, rebelde e ansiando cada vez mais ter mais tempo de vida e de liberdade Adeline cresce como esse desejo cada vez mais enraizado dentro de si, até que acaba fazendo um pacto que mudará toda a sua existência. Ao mesmo tempo acompanhamos a Addie LaRue como prefere ser chamada no seu presente atual (2014), já acostumada com a maldição. Essa narrativa escolhida pela autora se parece um quebra cabeça, onde vamos encaixando as peças que são apresentadas no presente descrito por Addie de acordo com o passado que nos é mostrado.

Nessas passagens de tempo podemos ver períodos históricos importantes, personalidades importantes também são mencionadas, são várias referências bem interessantes que a autora utiliza para descrever os anos que a Addie LaRue vive até chegar à atualidade.

“Eu me lembro de você”

Descrito na sinopse como o momento do grande plot twist, depois de quase 300 anos sem que ninguém jamais pudesse se lembrar de seu rosto, Addie LaRue entra numa livraria e escuta as cinco palavras que irão mudar para sempre o significado da sua existência, “eu me lembro de você”. Essas palavras são proferidas por Henry Strauss, peça chave na história e na própria vida de Addie LaRue, o garoto consegue ouvir o nome dela e se lembrar dela e tem uma parte dedicada a narração dele no livro, porém não posso me aprofundar sobre a descrição de Henry pois entraremos em spoilers e é muito mais interessante descobrir o seu mistério durante a leitura. 

O relacionamento entre Addie e Luc

Essa com toda certeza é uma das polêmicas do livro e não poderíamos deixar de trazê-la nessa resenha de A Vida Invisível de Addie LaRue, pois desde o momento que o pacto foi firmado Luc (como Addie nomeou o demônio) se comporta como se Addie pertencesse a ele, como ele só pode tomar a alma dela depois que ela se render, Luc sempre aparecerá para ela em determinados momentos do livro, sendo um personagem recorrente. Porém em um determinado momento fica claro que a troca entre eles é muito mais que um comportamento de quem está cobrando o pagamento do acordo, e foi levantado o questionamento de que o relacionamento que existe entre Luc e Addie está retratando um caso de relacionamento abusivo.

Essa percepção fica nas entrelinhas e em alguns momentos isso fica muito claro. Não posso entrar em detalhes por conta dos spoilers, mas diversos momentos entre os dois geraram polêmicas com os leitores por conta de opiniões divergentes em relação a esse relacionamento, mas só lendo mesmo para entender o porquê. 

Até onde se vai para alcançar a liberdade?

Com a história de Addie LaRue, a autora V. E. Schwab consegue entregar um livro muito reflexivo, com uma narrativa poética. Ela levanta questões que fazem o leitor pensar na própria vida, em como está deixando sua marca no mundo, em como está aproveitando o tempo limitado que se tem nessa vida e principalmente que somos responsáveis pelas nossas escolhas e precisamos arcar com as consequências dela. A Vida Invisível de Addie LaRue é uma história de alguém que ultrapassa todas as barreiras para conseguir a sua liberdade, e o livro é exatamente sobre as consequências que isso te trouxe, porém também é sobre como ela conseguiu ver a beleza disso tudo e aproveitar os benefícios dela. 

Por muitos momentos ela chega a se cansar, retorna para os momentos de quando ela era apenas mais uma garota no mundo e consegue ver que jamais teria chegado tão longe sendo ela, estava fadada a um destino que não queria e por isso nunca se arrependeu da sua decisão. Por isso muita gente consegue se identificar com esse livro e principalmente com a sua protagonista, ela nos mostra o valor da liberdade. Um livro sobre o tempo, a vida e a marca que deixamos nas pessoas.

Gostou de ler essa resenha sobre A Vida Invisível de Addie LaRue? Veja outros posts recentes no blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.