ordem dos livros da trilogia a terra partida

A Quinta Estação: Ordem da Trilogia A Terra Partida

Hoje vamos falar da ordem dos livros da Trilogia A Terra Partida, uma obra excepcional criada pela autora N. K. Jemisin, que quebra paradigmas da literatura, trazendo uma obra original e abordando assuntos sociais importantes. Além disso, somos pegos por um enredo cativante desde o primeiro volume — A Quinta Estação.

A escritora norte-americana, com sua obra, realizou grandes feitos, tendo recebido um dos mais prestigiados prêmios do segmento. O primeiro volume da série, A Quinta Estação, ganhou o prêmio Hugo de melhor romance em 2016.

O prêmio Hugo é entregue anualmente para os melhores trabalhos e realizações de fantasia ou ficção científica do ano anterior; e Jemisin, dentro de sua categoria, foi a primeira escritora negra a receber esta grande honraria. Além disso, os dois volumes seguintes também foram ganhadores do prêmio e, assim, ela se tornou a única autora na categoria a ter recebido o prêmio por 3 anos consecutivos.

Dado essas informações, podemos concluir que A Terra Partida é um trabalho digno de respeito e que merece sua atenção, não é mesmo? Então vamos aos livros… (alerta de spoilers)

>>> O Blog Os Melhores Livros está sempre trazendo novos conteúdos a respeito do mercado editorial. E para você que gosta de estar por dentro dos grandes sucessos da literatura, recomendamos que se inscreva no nosso canal do Telegram e nos siga no Instagram para não perder nenhuma publicação.

1 – A Quinta Estação

A Quinta Estação

A Quinta Estação é o primeiro volume na ordem dos livros da trilogia A Terra Partida. Aqui, Jemisin apresenta aos leitores uma ficção totalmente singular, onde ela traça uma narrativa genial, construindo paralelos que só mesmo alguém com muita habilidade e criatividade pode fazer.

Nesta ficção, a história se ambienta em Quietude, um continente que há muito tempo vive sob grandes catástrofes, constantemente devastado por tremores, terremotos e etc.

Neste primeiro livro, nós podemos acompanhar 3 perspectivas diferentes, 3 eixos cujas tramas se interligam. Porém, o motivo da ligação e o sentido de estarmos acompanhando cada núcleo é revelado aos poucos durante o desenvolvimento da narrativa.

  • Acompanhamos a Essun, uma mãe arrasada pela perda de seu filho da maneira mais terrível possível, pois o próprio pai matou o menino, além de sequestrar a filha. Uma jornada caracterizada pela vingança;
  • Entramos também na história de Damaya, uma pequena menina que descobre que é uma orogene durante uma briga na escola e, por isso, é rejeitada pela família e mandada para o Fulcro. Por isso, é a principal perspectiva para entender este aspecto deste universo;
  • Também acompanhamos Syenite, uma mulher jovem e revoltada, que se questiona a todo tempo e pretende colocar tudo à prova mesmo com receio das consequências que sua jornada trará.

A orogenia diz respeito àqueles que têm grande poder sobre a terra, podendo controlar terremotos, mover montanhas e causar grandes destruições. Os orogenes são odiados pela sociedade, mas alguns são mandados para o Fulcro, onde eles podem ser treinados para contribuir para a Quietude.

As 3 protagonistas carregam a orogenia, mas a maneira como ela se manifesta em cada uma é diferente, de acordo com suas respectivas jornadas.

A autora presta um grande serviço à causa feminina dentro da literatura, tendo desenvolvido 3 incríveis heroínas, que vivem em um mundo marcado pela intolerância, pelo preconceito e pela violência.

2 – O Portão do Obelisco

ordem dos livros da trilogia a tera partida O Portão do Obelisco

O Portão do Obelisco é o segundo livro na ordem dos livros da trilogia A Terra Partida. Jemisin dá continuação à sua obra com um livro tão cativante quanto o primeiro. Este volume não tem tantas reviravoltas quanto A Quinta Estação, mas é um livro de muitas respostas, onde muitas coisas são reveladas aos leitores, apesar da autora, inteligentemente, continuar mantendo o interesse do público gerando novas curiosidades. Dessa forma, ela desenha uma preparação para um desfecho que, sem dúvida, será lendário.

Aqui, ganhamos mais um ponto de vista para a narrativa: o de Nassum, filha de Essun. Até agora, não sabíamos de nada sobre a garota, nem mesmo se ainda estava viva, mas isso muda quando podemos acompanhar a trajetória dela neste livro.

As jornadas dessas duas personagens constituem os pontos mais importantes desta narrativa. De um lado, temos a Essum tentando descobrir o seu lugar no mundo, depois de uma longa estrada de sofrimento, frustração e drama. Antes, sua grande motivação era encontrar sua filha e se vingar do seu marido, porém, quando ela abre os olhos para o que o seu poder pode fazer pelas pessoas e contra o caos que é o seu mundo, ela toma um novo rumo. Assim, é incrível acompanhar a transformação da personagem.

As partes dedicadas a Nassum são destinadas a nos mostrar tudo o que aconteceu com a garota após ter sido levada pelo seu pai, Jija. É interessante notar como os eventos passam por uma ressignificação quando as perspectivas mudam.

É importante dizer que alguns capítulos são dedicados ao Schaffa, guardião de Syenite. A partir deste ponto de vista, podemos ter uma visão mais esclarecedora sobre o núcleo dos guardiões.

3 – O Céu de Pedra

O Céu de Pedra

O Céu de Pedra é o último volume na ordem dos livros trilogia A Terra Partida. Chegamos ao fim de uma história totalmente única, com uma conclusão digna de todo o desenvolvimento até aqui.

No mundo criado por Jemisin, sabemos que existem 5 estações. 4 nós já conhecemos, e a quinta estação representa o fim. 

Da mesma forma que no livro anterior, a narrativa oscila muito entre os pontos de vista de Essum e Nassum.

No fim da última trama, Essum mal sobreviveu aos acontecimentos, terminando o volume em um estado físico muito complicado. Mesmo assim, iniciamos o terceiro livro acompanhando a personagem sendo carregada por uma estrada. Já estamos próximos do fim, mas ela ainda está em busca da sua filha perdida.

Ainda acompanhamos Essum em seus dramas, pois ela se pune constantemente pelas decisões tomadas no passado. Por isso, junto da comu de Castrima, ela precisa ser lembrada de que alí ainda pode se tornar um lar para ela e, talvez, para sua filha também.

Enquanto isso, também temos a perspectiva de Nassum, que ainda é uma criança, mas que foi obrigada a amadurecer muito cedo, vivendo em um mundo que a odeia apenas por ser o que é.

Nassum foi uma personagem que se desenvolveu muito rápido, entendendo a sua grande importância e dever. Dessa forma, ela parte em uma missão que pode ser definitiva para o planeta. Tanto Nassum como Essum devem executar uma missão que pode estabilizar o mundo e acabar, de uma vez por todas, com a temida quinta estação. 

Conclusão

Foi uma longa e incrível jornada até o desfecho. A trilogia é composta por volumes relativamente extensos, mas que usam bem o tempo do leitor, que pode viajar entre as páginas sem notar que já se passou bastante tempo desde que abriu o livro para mais uma leitura diária.

A Terra Partida é uma obra best-seller do The New York Times e, entre os críticos, é alvo de grandes elogios, chegando a ser considerada por alguns como uma das melhores séries de fantasia e ficção científica de todos os tempos.

Enfim… Não perca tempo e encomende seus exemplares.

Compartilhe este artigo com seus amigos que também adoram uma ficção. Assim, você faz uma boa recomendação e ajuda o nosso blog a crescer cada vez mais. Abraço!

Gostou de conhecer a ordem dos livros da trilogia A Terra Partida? Veja outros posts recentes do blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.