hamlet resumo

A Tragédia de Hamlet de William Shakespeare [Resumo] 

[cn-social-icon]

Hoje vamos fazer um resumo de Hamlet, uma peça de teatro escrita por William Shakespeare no final do século XVI. Esta é uma das obras mais famosas e influentes da literatura inglesa e é frequentemente estudada como uma das peças mais importantes da história do teatro. A história gira em torno do príncipe Hamlet, da Dinamarca, que é retratado como um jovem intelectual e reflexivo.

O enredo começa com a morte do rei da Dinamarca, que é substituído pelo irmão, Cláudio. Hamlet é profundamente afetado pela morte de seu pai e fica ainda mais perturbado quando a sua mãe, a rainha, se casa rapidamente com Cláudio (seu tio). 

Hamlet, então, é visitado pelo espírito do seu pai, que lhe conta que foi assassinado por Cláudio. A partir daí, Hamlet se embrenha numa jornada de investigação e vingança. Ele se passa por louco para disfarçar suas intenções e começa a investigar a morte de seu pai. No entanto, sua busca por verdade e justiça é impedida por vários obstáculos, incluindo a traição de amigos próximos e a falta de provas concretas contra Cláudio.

Hamlet é uma obra rica e complexa que aborda temas como vingança, traição, loucura, morte e justiça. Além disso, a peça apresenta uma reflexão sobre a natureza da verdade e da realidade, bem como sobre a natureza humana e suas fraquezas. A linguagem poética e a trama intensa da peça continuam a atrair espectadores e estudiosos de todo o mundo até os dias de hoje.

Dessa forma, pode-ser dizer que Hamlet é uma história intensa e profunda sobre vingança, justiça e a busca da verdade. A obra de Shakespeare é uma reflexão sobre a natureza humana e suas fraquezas, e continua a ser estudada e apreciada pelos amantes da literatura de todo o mundo.

>>> Está gostando do nosso resumo de Hamlet? Gostaria de convidar para nos seguir também no YouTube,  Telegram e Instagram, redes nas quais você terá acesso a textos como esses e também diversos outros guias de leitura postados diariamente aqui no blog! Caso queira adquirir o livro, você ajuda o blog ao comprá-lo por esse link

Como é a Relação de Hamlet Com o Fantasma?

Continuamos nosso resumo de Hamlet destrinchando um pouco mais sobre a sua relação com o fantasma. No livro Hamlet, o fantasma é seu pa, o rei falecido da Dinamarca. No início da peça, o fantasma revela que foi assassinado pelo seu irmão, Cláudio e pede a Hamlet que vingue sua morte e restaure o trono ao seu legítimo herdeiro. 

A relação de Hamlet com o fantasma é, de certa forma, conflituosa, pois o príncipe se sente atormentado pelo pedido de vingança. Ao mesmo tempo, ele está em dúvida sobre a verdadeira natureza do fantasma, já que o mesmo pode ser uma fraude ou uma criatura diabólica.

Ao longo da peça, Hamlet tenta descobrir a verdade sobre a morte do rei e seu relacionamento com o fantasma é central para compreender sua jornada. O fantasma fornece informações crucial para Hamlet e é um importante motivador de sua vingança. No entanto, ao mesmo tempo, ele também é uma figura ameaçadora e perturbadora para Hamlet, já que a sua presença constante serve como uma lembrança constante da missão que lhe foi confiada.

A relação de Hamlet com o fantasma também é importante para compreender a natureza da vingança e do perdão. Enquanto Hamlet hesita em vingar a morte do rei, ele se pergunta se a vingança é realmente a resposta correta e se ele está disposto a pagar o preço que isso implicaria. Além disso, ele questiona se a vingança é uma maneira de honrar ou desonrar a memória de seu pai. No final, Hamlet percebe que a vingança é um caminho perigoso e destrutivo e que é preciso encontrar uma maneira de perdoar e avançar.

hamlet livro

Hamlet Era Louco ou Fingia-se de Louco?

A questão se o protagonista era realmente louco ou se ele estava fingindo é uma das mais debatidas na interpretação no livro Hamlet de Shakespeare. Alguns críticos argumentam que Hamlet estava enlouquecendo devido ao seu sofrimento e à pressão de vingar a morte de seu pai. Eles apontam para suas ações impulsivas e inconsequentes, bem como sua aparente insanidade, como evidências de sua loucura.

Por outro lado, queremos argumentar em nosso resumo de Hamlet que é comum assinalar que o protagonista estava fingindo ser louco como uma forma de proteger a si mesmo e ocultar suas intenções. Partidários desta teoria apontam para o fato de que ele apenas finge ser louco em presença de certas pessoas, como Cláudio, e que ele se recupera rapidamente quando se sente ameaçado. Além disso, eles apontam para sua capacidade de raciocinar e planejar cuidadosamente a vingança como evidência de que ele não estava realmente louco.

No final, a verdadeira natureza da loucura de Hamlet é deixada aberta a interpretação, e as diferentes leituras da peça refletem as perspectivas e valores dos críticos e dos espectadores. Independentemente de se Hamlet estava realmente louco ou se ele estava fingindo, o personagem é amplamente considerado como um dos mais complexos e fascinantes da literatura mundial.

Os Conflitos de Hamlet

Precisamos citar em nosso resumo de Hamlet alguns dos principais conflitos da obra. Ofélia é uma personagem importante em “Hamlet” de Shakespeare. Ela é apaixonada por Hamlet e é vista como uma figura inocente e puro. No entanto, ela também é objeto de atenção de Cláudio, tio de Hamlet, que planeja se casar com ela para consolidar seu poder. A tensão entre Hamlet e Cláudio em torno de Ofélia é uma das principais fontes de conflito na peça. No final, a loucura aparente de Hamlet leva Ofélia a cometer suicídio, um evento trágico que contribui para a deterioração da situação na Dinamarca.

Outro conflito bem aparente na obra se dá com Polônio que é o conselheiro do rei Cláudio e pai de Ofélia. Ele é retratado como um homem idoso e tagarela, que é um pouco arrogante e se intromete em assuntos que não lhe dizem respeito. Ele é assassinado por Hamlet depois de espiar a conversa de Hamlet com Ofélia, e sua morte é vista como um sinal da deterioração da situação na Dinamarca.

Cláudio é o tio de Hamlet e sucessor do rei assassinado concentra inúmero conflitos com Hamlet. Ele é retratado como um homem ambicioso e desonrado, que não hesita em trair seu próprio irmão para subir ao poder. No entanto, ele também é retratado como um homem que tenta manter a ordem e evitar a guerra, e suas ações são motivadas por seu desejo de proteger seu reino. No final, ele é morto por Hamlet em um duelo, encerrando a tragédia na Dinamarca.

cena em que o protagonista Hamlet esfaqueia Polonius

Quem Matou Polônio em Hamlet?

Esta é uma das cenas mais icônicas, portanto não poderia ficar de fora do nosso resumo de Hatmlet. A cena que leva à morte de Polônio ocorre no Acto III, Cena IV do livro. Neste momento, Hamlet está falando com Ofélia e Polônio esconde-se atrás de uma cortina para ouvir sua conversa. Hamlet ouve um ruído e, pensando que é o rei Cláudio, apunhala a cortina, matando Polônio. Hamlet então revela sua ação a Ofélia, dizendo que ele não sabia que estava matando Polônio.

Esta cena é importante porque mostra o quanto Hamlet está descontrolado e aprofunda a tensão entre ele e o rei Cláudio. Além disso, a morte de Polônio é um passo importante na deterioração da situação na Dinamarca e mostra a magnitude dos conflitos que estão acontecendo no reino. Esta cena é também um exemplo da natureza impetuosa de Hamlet, que é capaz de agir de forma impulsiva sem pensar nas consequências.

Gertrudes, a Mãe

A presença de Gertrudes na trama e sua relação com Hamlet é fundamental para entender a motivação por trás da ação dele na cena da morte de Polônio. Hamlet está lutando com sua percepção de sua mãe e sua traição ao seu pai, o que leva a uma acentuada tensão entre eles e ajuda a moldar a personalidade instável de Hamlet, que é propensa a atos impulsivos e violentos. Em última análise, a relação de Gertrudes com Hamlet e sua influência sobre ele é crucial para compreender a trama inteira do livro Hamlet. 

A Vingança

Continuamos nosso resumo de Hamlet quando nosso protagonista consegue driblar os planos de Cláudio e volta à Dinamarca ileso. Ele tem uma série de confrontos com Cláudio, Ofélia e outros personagens. Hamlet está determinado a descobrir a verdade sobre a morte de seu pai e a vingar sua morte, e isso o leva a investigar e a questionar a verdade por trás da história contada por Cláudio. Ele também tem um relacionamento conturbado com Ofélia, que acaba se afogando em um rio, o que agrava ainda mais a situação.

Ao mesmo tempo, Cláudio está cada vez mais ameaçado pela investigação de Hamlet e pelas ações do príncipe, o que leva a uma série de confrontos entre eles. A tensão e o conflito aumentam ainda mais quando Hamlet mata Polônio, acreditando que ele era o espião de Cláudio. Isso leva a uma série de eventos trágicos, incluindo a morte de vários personagens importantes, incluindo Hamlet, Cláudio e Laertes. No final, a Dinamarca está mergulhada em uma situação caótica e as várias ambições e motivações dos personagens levam a uma série de acontecimentos trágicos que resultam em uma série de mortes.

Como Morrem Hamlet e Cláudio?

A luta entre Cláudio, Hamlet e Laertes acontece no final do livro Hamlet. Cláudio planeja a luta como uma forma de se vingar de Hamlet, que ele acredita ser um ameaça para seu trono. Ele convence Laertes, filho de Polônio, a lutar contra Hamlet, prometendo vingança pelo assassinato de seu pai. Laertes, por sua vez, prepara sua espada com veneno, para garantir a vitória contra Hamlet.

Durante a luta, as coisas não saem como planejado para Cláudio. Hamlet acaba ferindo Laertes com a espada envenenada, e, em seguida, a espada é trocada com a espada não envenenada de Laertes. Hamlet também acaba ferido por Laertes com a espada envenenada. A rainha, que havia se aproximado da luta, acaba bebendo o vinho envenenado que estava destinado a Hamlet e morre. A luta termina com a morte de Cláudio, Hamlet e Laertes, e com a revelação da verdade sobre a morte do rei, o pai de Hamlet.

Frase Mais Importante

Não dá para fazer um resumo de Hamlet sem citar a frase mais famosa do livro: “Ser ou não ser, eis a questão”. Essa frase aparece no Monólogo da Ação, no Ato III, Cena I, e é amplamente considerada como uma das mais famosas e significativas da literatura inglesa. Nesse monólogo, Hamlet reflete sobre a natureza da existência, a morte e a vida após a morte, e questiona se é melhor viver uma vida cheia de sofrimento ou enfrentar corajosamente a morte. A frase “Ser ou não ser” se tornou uma das mais célebres e icônicas de todos os tempos, sendo amplamente citada e referida fora do contexto da obra.

Porque o Livro Hamlet é Tão Importante?

Finalizamos noss resumo de Hamlet destacando que ler essa obra é importante porque é uma das peças mais conhecidas e estudadas da literatura mundial. Escrito por William Shakespeare, é uma obra de teatro que reflete muitas questões importantes da época em que foi escrita, como o papel da justiça, a luta pelo poder, a luta pelo amor, a luta contra a corrupção e a luta pela verdade.

 Além disso, Hamlet é uma obra que permite uma ampla variedade de interpretações e é um desafio para os atores, o que o torna um dos papéis mais desejados da história do teatro. Por todas estas razões, Hamlet é considerado um marco da literatura mundial e continua sendo apreciado por leitores e espectadores de todo o mundo.

Gostou do nosso resumo de Hamlet? Conte-nos mais sobre a sua experiência com a obra! Veja também outros artigos recentes do blog!

Imagem: Coke Smyth, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *