a mandíbula de caim resenha

A Mandíbula de Caim: Conheça o Fenômeno Editorial do Ano

[cn-social-icon]

A Mandíbula de Caim é um livro de mistério e suspense escrito por Edward Powys Mathers em 1934. A obra foi relançada em 2022, agora com o título em português, e é conhecida por sua estrutura única e desafiadora. O livro é composto por 100 páginas, cada uma com um número de dois dígitos, e as páginas não estão na ordem correta. Por todo o enigma envolvendo a obra, ela renasceu neste ano como um fenômeno editorial impulsionado pelo TikTok e já figura na lista de mais vendidos deste ano. Neste texto, vamos fazer uma resenha de A Mandíbula de Caim, para você entender mais sobre a obra. 

Para resolver os seis assassinatos apresentados ao longo de 100 páginas, o leitor precisará identificar a sequência correta dentre milhões de combinações possíveis. No entanto, com lógica e perspicácia na leitura, é possível organizar a progressão correta e descobrir as seis vítimas de assassinato e seus respectivos algozes. 

A obra foi relançada pela Intrínseca no final do ano passado e gerou um incrível engajamento devido aos seus seis enigmas aparentemente “impossíveis” de serem resolvidos. Embora pareçam difíceis, quatro pessoas conseguiram resolver os seis assassinatos apresentados nas páginas do livro desde a sua publicação em 1934. 

>>> Caso esteja gostando do nossa resenha de A Mandíbula de Caim, também convido para se inscrever nas nossas redes sociais: Instagram; Canal do Telegram e Canal do Youtube, para acompanharem resenhas como essas em primeira mão! Você também ajuda o blog se adquirir o livro através deste link!

Qual o Motivo do Ressurgimento do Livro?

É importante ressaltarmos em nossa resenha de A Mandíbula de Caim que, em 2019, graças a um financiamento coletivo, o livro foi relançado em duas edições pela editora Unbound: uma com páginas impressas em cartões e outra em brochura.

A obra ganhou destaque mesmo quando o comediante e escritor de palavras cruzadas John Finnemore anunciou ter resolvido o quebra-cabeça após trabalhar nele durante quatro meses durante o confinamento da COVID-19. Depois, BookTokkers ao redor de todo o mundo entraram em ação e catapultaram a obra para o topo das listas. 

Apesar do sucesso, os editores e o curador decidiram manter o mistério. A editora Intrínseca lançou uma tradução em português em 2022, feita por Myra Marple, e oferece uma viagem para conhecer seu escritório no Rio de Janeiro para quem solucionar o quebra-cabeça do livro até 31 de agosto de 2023.

Qual o Mistério do livro A mandíbula de Caim?

O mistério do livro A Mandíbula de Caim é que se trata de um livro interativo que só faz sentido se o leitor organizar as suas 100 páginas na ordem correta. A obra é um quebra-cabeça literário, um jogo em que o leitor deve descobrir a sequência correta dos fragmentos de texto para revelar a história completa e solucionar o mistério.

O livro não tem uma trama convencional com personagens e um enredo linear, mas apresenta uma série de fragmentos de texto que podem ser organizados de diversas maneiras. O objetivo do leitor é descobrir a ordem correta dos fragmentos para que a história faça sentido.

Originalmente lançado em 1934, o livro oferecia um prêmio de £15 para quem conseguisse desvendar o mistério. A solução foi encontrada por duas pessoas simultaneamente em 1935, e desde então apenas mais duas pessoas conseguiram solucioná-lo. O mistério continua atraindo leitores e desafiando mentes curiosas ao redor do mundo.

O Enigma

A Mandíbula de Caim

O enigma é apresentado na forma de pistas e charadas no início do livro, e cabe ao leitor utilizar sua habilidade de lógica e dedução para decifrar as dicas e descobrir a ordem correta das páginas. O desafio pode ser extremamente difícil e requer muita paciência e perseverança, mas a recompensa de completar o quebra-cabeça é altamente gratificante.

O livro é um exemplo de um “livro quebra-cabeça”, um gênero literário que combina elementos de mistério e quebra-cabeça para criar uma experiência única de leitura. A Mandíbula de Caim é considerada um dos exemplos mais difíceis e complexos deste gênero.

Ao longo do livro, o leitor é desafiado a desvendar as pistas e charadas, que incluem jogos de palavras, acrósticos e anagramas, entre outros. A complexidade e originalidade do quebra-cabeça fazem deste livro um desafio único e atraente para os amantes de mistério e quebra-cabeça.

Além da trama principal, o livro também inclui personagens secundários intrigantes, cada um com seu próprio mistério e segredo. À medida que o leitor avança na história, mais pistas e informações são reveladas, tornando a trama cada vez mais complexa e interessante.

O estilo de escrita de Mathers é ágil e envolvente, mantendo o leitor sempre engajado na história. O autor usa uma linguagem clara e direta, sem floreios desnecessários, e consegue criar uma atmosfera tensa e intrigante ao longo da narrativa.

Mas atenção: na minha opinião, o livro vale mais como quebra-cabeças do que como experiência literária. Vejo que alguns leitores se frustram como adquirem o livro esperando algo como Agatha Christe ou outros livros de suspense e mistério, mas este não é o caso, Todas as 100 páginas são escritam em primeiras pessoas, com visões de personagens que você não faz ideia de quem são, e nem mesmo quem sofreu o crime fica claro. Portanto, se você é um destes leitores que espera algo nessa linha, eu não recomendo a leitura. Agora, se você quer mesmo se dedicar semanas a ordenar essas páginas e viver a sua própria experiencia de CSI, aí pode ser interesante!

Por Que o Livro se Chama A mandíbula de Caim?

O título A Mandíbula de Caim é uma referência bíblica ao assassinato cometido por Caim, o filho de Adão e Eva, em seu irmão Abel. Depois de matar Abel, Caim tentou esconder o crime e mentir para Deus sobre o que havia feito. Deus então amaldiçoou Caim e disse que ele seria um andarilho na terra.

Assim, Edward Powys Mathers traz uma alusão à história bíblica de Caim, pois também envolve um assassinato e a tentativa de ocultar o crime. Além disso, a escolha do título pode estar relacionada com o fato de que, para resolver o mistério do livro, o leitor precisa usar a lógica e o raciocínio para “quebrar” a mandíbula do enigma, assim como Caim quebrou a mandíbula de seu irmão Abel ao matá-lo.

Gostou da nossa resenha de A Mandíbula de Caim? Veja também outros artigos recentes do blog e não esqueça de nos marcar no Instagram (@osmelhoreslivros)!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *