a hipótese do amor resenha

A Hipótese do Amor: Resenha do Livro Queridinho do Momento

No artigo de hoje vamos fazer uma resenha de A Hipótese do Amor da escritora Ali Hazelwood, uma surpresa bem-vinda e muito rica. 

O queridinho do Tiktok, vem arrancando suspiros de muitos leitores. Com uma mistura de fake dating (relacionamento falso), o livro possui uma história atual, com uma realidade muito acessível, com personagens divertidos e apaixonantes.

A história começa com um prólogo surpreendente, com um encontro inusitado de Adam Carlsen e Olive Smith. Mesmo não sabendo quem são, o encontro deles é cheio de trocas de ideais e motivações para o futuro. Adam, é professor e cientista com grandes teses publicadas, já Olive é uma estudante de doutorado, que quer provar que com um tratamento diferenciado, poderá alcançar o diagnóstico do câncer mais cedo. Os dois não sabiam, mas dois anos e onze meses depois, esse encontro iria acontecer novamente. 

>>> Está gostando da nossa resenha de A Hipótese do Amor? Esse texto é uma parceria entre o IG literário @blogleituranna, criado pela autora Anna Luíza Tenório, e o blog Os Melhores Livros. Também estamos presentes no YoutubeTelegram e Instagram, nos quais você terá acesso a textos como esses e também diversos outros guias de leitura postados diariamente aqui no blog! Caso você goste desse conteúdo, poderá adquirir o livro através desse link para ajudar no crescimento do blog.

Conhecendo os Personagens

Adam tem a fama de ser misterioso, e um professor muito rigoroso e  Olive, canadense, só quer construir seu futuro e sempre contar com o apoio dos seus melhores amigos, Anh e Malcolm. E por falar na Anh, toda a história começa, por Olivie descobrir certo interesse amoroso da amiga, por Jeremy. Contudo, Anh, acredita que Olivie possa sentir algo por ele, pois, os dois já haviam saído algumas vezes.  

Tentando convencer a amiga, ela diz que já tem namorado, mas Anh não  conhece. É quando, em uma das mais longas noites, de extremo trabalho no laboratório, achando ter visto Ahan caminhando em sua direção, ela beija Adam Carlsen, de surpresa. 

Surpreso, mas curioso, ele questiona Olivie sobre tudo, que lhe explica pedindo um grande favor: que os dois finjam uma relação até que sua amiga Anh, esteja convencida e invista seus sentimentos em Jeremy. Achando que ele não aceitaria, para surpresa de Olivie, ele aceita. Mas, o cientista também tinha os seus motivos. A universidade de Stanford estava ameaçando congelar os recursos financeiros, caso descubra que Adam está procurando outra universidade para trabalhar, principalmente Harvard. 

Para que isso não aconteça, o reitor de Stanford, deve acreditar que Adam possui vínculos com a universidade, e ter uma namorada, é uma excelente ideia de provar que ele merece os recursos financeiros para a sua pesquisa. Ambos aceitam suas condições, mas com o passar do tempo, Olivie vai conhecendo Adam melhor, e entendendo o porquê das suas posturas incisivas e duras. 

Em meio a isso, alguns alunos, e até mesmo companheiros de laboratório de Olvie começam a olhá-la de forma diferente, por justamente Adam ter a fama de ser recluso. Em meio a isso, o laboratório se mostra pequeno e insuficiente para que Olivie possa realizar suas pesquisas, fazendo-a procurar outras universidades, e cientistas que possam estar interessados no seu projeto, e ajudá-la.

 A jovem escreve e-mail para diversos doutores, mas nenhum deles parece se interessar pelo seu trabalho. Mas, quando Tom Berton, um dos melhores cientistas americanos, responde e marca um encontro com ela, Olivie se anima. Enquanto isso, o seu namoro de mentira com Adam começa a tomar grandes proporções, e chamando atenção até dos professores. 

Ahan, é a maior incentivadora do romance, e claro, sempre querendo saber muito mais do que deveria, deixa, muitas vezes, Olivie em maus lençóis. Todos parecem interessados neles, e como poderia ter começado essa relação, rendendo muitos momentos engraçados devido ao nervosismo de Olivie.

Contudo, os sentimento de Olivie começam a confundi-la, e cansada de como as coisas estão, ela confidencia a seu amigo e colega de apartamento, Malcolm, que tudo isso não passa de um acordo entre Adam e ela. Sem entender o porquê dessa situação, principalmente por Malcolm não gostar de Adam, pelo mesmo ter rejeitado seu projeto algumas vezes, ele lhe pede que diga a verdade para ele. É nesse momento, que o livro traz uma cisão, pois, começamos a entender melhor a Olivie, e toda a sua trajetória de vida.

“A vida acadêmica tira muita coisa de você e te dá muito pouco em troca. É difícil se manter firme se você não tiver uma boa motivação para isso.”

A História de Olivie

Agora é a parte da nossa resenha de A Hipótese do Amor que entramos mais a fundo da história de Olivie. Ela, ainda muito jovem, perdeu sua mãe pelo câncer e, sem parentes próximos, foi morar em um abrigo. Aos dezesseis anos, foi emancipada, e com suas excelentes notas começou a trilhar seu caminho como cientista. Mesmo com momentos divertidos, a autora nos mostra o outro lado da história, que traz diversas reflexões acerca da insegurança, escolhas e orientações sexuais dos personagens.

Convencida que seus sentimentos por Adam não são recíprocos, Olivie se concentra no seu encontro com Tom Berton. Todavia, em um dos encontros com Adam em um café do campus, ela encontra Tom conversando com ele, revelando serem grandes amigos da época de doutorado. Em choque e sem reação, Tom propõe que a reunião deles seja naquele momento. Nervosa, mas com o incentivo de Adam, Olivie explica todas suas teses, deixando Tom fascinado. 

Em meio a isso, a jovem recebe um e-mail do Congresso Internacional, que acontecerá em Boston, convidando-a a palestrar em um dos tempos do Congresso, deixando Olivie surpresa. Contudo, Ahan e Malcolm a incentivam, e ela aceita. Mas, achando que todos viajaram juntos, seus amigos possuem outros planos, deixando Olivie sem onde ficar. Sabendo dessa situação, Adam, oferece o seu quarto para a jovem. Mesmo explicando que o quarto possui duas camas, Olive não aceita a proposta, mas se vê sem muitas opções e cede. Contudo, esse Congresso vai ser desafiador para ambos e, além disso, provará se seus sentimentos são mesmo mentira. 

Discussão Sobre Sexualidade, Assédio e Ansiedade

Demonstramos em nossa resenha de A Hipótese do amor que desde o primeiro capítulo, a autora vem trabalhando diversas questões, de forma sutil, mas de forma enfática. Olivie sempre foi uma o jovem que lutou pelos seus objetivos, mas com isso, deixou muitas coisas para trás, e agora, nos seus vinte e seis anos, ela não sabe como lidar com certos sentimentos. 

O medo de perder pessoas é mais forte, então a personagem se vê encurralada em uma “teia de mentiras”, para tentar agradar as pessoas que ama. Isso a leva a criar uma relação falsa com Adam, e também a sempre se subestimar como futura cientista. 

Em muitos momentos, ela sofre assédios de seus colegas de laboratório, mas o medo de denunciá-los é maior, devido ao seu envolvimento amoroso. Até mesmo pessoas inusitadas mostram suas verdadeiras identidades, tornando a história muito mais curiosa. 

Outro ponto importante, é sobre a forma como a Olivie enxerga a sua construção afetiva. Em “A hipótese do amor”, temos uma discussão forte sobre o Demisexualismo. Pertencente a bandeira do assexualismo, o demisexualismo é quando, somente com um certo vinculo afetivo-emocional entre os parceiros que se desperta certa atração sexual ou afetiva. 

O demisexualismo pode ser tantos mulheres e homens cis, como qualquer gênero LGBTQIA+. Olivie e Adam constroem uma relação forte, mesmo que a princípio seja movido por um acordo. Até mesmo Adam, que sempre foi reservado com a sua vida pessoal, começa a ver seus sentimentos mudarem pela jovem.

“[…] Que durante anos ela se perguntou se seria assexual, e foi apenas recentemente que percebeu que talvez fosse sim capaz de sentir atração sexual, mas apenas por pessoas em que confiasse profundamente.”

 Além disso, em vários momentos da história podemos enxergar diversos abusos psicologicos, pressões sociais e assédio sexual e moral. Um dos exemplos disso, é sua amiga Anh, que sempre foi engajada na defesa das mulheres cientistas e é líder da Associação das Mulheres na Ciência de Sanford, mas sofre muita resistência da reitoria para que comecem a tomar medidas cabíveis para coibir tais situações.

 Outro ponto importante é quanto aos colegas de laboratório de Olivie que se mostram verdadeiramente difíceis, e alegando ser ela a causadora das reprovações de suas teses por parte de Adam. No entanto, o momento mais marcante da história é quanto a Tom e a Olivie.

Particularmente, essa cena é uma das mais fortes e marcantes da história, e mostra o quanto as mulheres, de todas as idades, estão desprotegidas. O medo e a falta de proteção só demonstra o quanto os assédios em departamentos públicos, escolas e universidades precisam ser trabalhados e repelidos.

Conclusão

Concluindo nossa resenha de A hipótese do amor, da escritora Ali Hazelwood, podemos dizer que a obra merece todo o seu reconhecimento. Mesmo muitos achando ser mais uma história clichê, toda a trama da história mostra vidas reais e debates atuais. O livro trás essa proximidade com os jovens adultos pela identificação imediata com os conflitos que os personagens passam. Por ser uma história New Adult (novo adulto), os personagens estão passando por amadurecimentos fortes e característicos dessa fase. 

Sem dúvidas esse é um dos livros mais cativantes, chamativos do ano, e vale todo o apreço dos leitores apaixonados por romances sinceros e divertidos. A hipótese do amor é uma das minhas leituras favoritas do ano. 

Gostou da nossa resenha de A Hipótese do Amor? Veja outros posts recentes abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.